Abertura e fechamento dos estômatos

A abertura e o fechamento dos estômatos são determinados pela pressão de turgor nas células-guarda.

O mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos permite que as plantas controlem a entrada e a saída de gases
O mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos permite que as plantas controlem a entrada e a saída de gases
PUBLICIDADE

Sabemos que o estômato é uma estrutura responsável por controlar as trocas gasosas no vegetal. Ele está diretamente relacionado a processos essenciais para a sobrevivência da planta, tais como respiração, transpiração e fotossíntese.

Para compreendermos o mecanismo de abertura e fechamento, antes é necessário relembrar a estrutura básica de um estômato. Essa estrutura é encontrada na epiderme e é formada por duas células (células-guarda) que delimitam um pequeno espaço denominado ostíolo.

Sabe-se que o estômato controla a entrada e a saída de gases, abrindo e fechando o ostíolo. Esse mecanismo também é importante, pois possibilita a planta evitar a perda excessiva de água.

O que mantém um estômato aberto ou fechado é a pressão de turgor. Quando as células-guarda estão túrgidas, o ostíolo permanece aberto. Quando essas células estão flácidas, o poro fecha-se. O movimento estomático é controlado principalmente, em situções de estresse, por um hormônio vegetal, o ácido abscísico, também chamado de ABA.

O ABA atua ligando-se a receptores na membrana plasmática das células-guarda. Essa ligação faz com que canais de Ca2+ (íons de cálcio) abram-se, gerando uma entrada desse íon para o citoplasma da célula.  Nesse caso, o Ca2+ agirá como um mensageiro secundário e causará a abertura de canais iônicos na membrana plasmática.

A abertura dos canais levará a uma passagem de ânions do interior da célula para a parede celular. Os principais ânions que fazem essa passagem são o Cl- (íons de cloro) e o malato2-. Esse movimento faz com que os canais de K+ (íons de potássio) abram-se e, consequentemente, ocorre o movimento do K+ do citoplasma para a parede celular.

Todo esse processo, em que o Cl-, malato2- e K+ saem do citoplasma em direção à parede, faz com que a água se mova também para a parede celular. Quando isso ocorre, as células-guarda ficam flácidas e ocorre o fechamento do estômato.

Quando o ABA se separa de seu receptor na membrana plasmática, os íons retornam para o citoplasma e a água, por osmose, volta ao interior da célula. Isso faz com que as células-guarda fiquem túrgidas e, consequentemente, o estômato abre-se.

A abertura e o fechamento dos estômatos são uma estratégia da planta para a sua sobrevivência, uma vez que, com esse mecanismo, ela consegue, por exemplo, evitar a perda de água em ambientes com baixa disponibilidade. Além disso, o fechamento também evita que grande quantidade de gás carbônico fique disponível no mesofilo.

Diversos fatores ambientais também controlam os movimentos estomáticos, dentre eles, os principais são a luz, a temperatura e a concentração de dióxido de carbono.


Por Vanessa Sardinha dos Santos
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Cidades Populosas
Veja quais são as cidades mais populosas do Brasil.

..................................................

Área do Losango
Descubra exemplos de como calcular a área do losango!

..................................................