Desidratação

A desidratação é um problema grave de saúde que se caracteriza pela perda de água e de eletrólitos, principalmente o sódio.

Exercícios intensos sem a reposição de água podem desencadear desidratação
Exercícios intensos sem a reposição de água podem desencadear desidratação
PUBLICIDADE

O corpo necessita de água para a realização de várias reações químicas e processos fisiológicos, como a regulação da temperatura, excreção e transporte de nutrientes. Para garantir que esses processos aconteçam, é fundamental que a ingestão de água seja maior que a sua eliminação.

Quando bebemos pouca água ou perdemos essa substância em grande quantidade, pode ocorrer um desequilíbrio conhecido como desidratação, que também leva em conta o deficit de eletrólitos. Esse problema é grave e, apesar de poder ser evitado facilmente, causa óbitos todos os anos em várias partes do mundo.

A perda exagerada de água e eletrólitos pelo corpo ocorre normalmente como consequência de problemas de saúde. Diarreias fortes, geralmente decorrentes da ingestão de água ou alimento contaminado, são a principal causa de desidratação e mortes, principalmente em crianças. Além disso, o vômito, diurese excessiva, hemorragias, queimaduras, peritonites, cirrose e febre são problemas que merecem atenção. Vale destacar que a perda hidroeletrolítica também pode acontecer como consequência de uma sudorese exagerada após a exposição a ambientes muito quentes ou depois da prática de exercícios intensos.

De acordo com a quantidade de água e sódio presente no corpo, a desidratação pode ser classificada em hipotônica, isotônica e hipertônica. Na desidratação hipotônica, a perda de sódio é maior do que a perda de água. Na isotônica, a perda de água e a de sódio ocorrem de maneira proporcional. Já na desidratação hipertônica, a perda de água é maior do que a de sódio.

Além dessas formas de identificação, a desidratação pode ser classificada em leve, moderada ou grave. Na desidratação leve, também chamada de desidratação de 1º grau, o paciente sente irritação, sede, boca seca e olhos e pulsos normais. Na moderada, também denominada de desidratação de 2º grau, o paciente apresenta irritação, muita sede, boca seca, lábios algumas vezes cianóticos (azulados), extremidades frias, olhos fundos e pulso fino. Já nos casos graves (3º grau), a pessoa apresenta-se deprimida e com lábios cianóticos, olhos fundos, pulso muito fino e pele fria.

Para tratar um paciente com desidratação, é fundamental a análise detalhada do quadro clínico, bem como determinar o tipo apresentado, verificando sempre o grau de perda de água e os níveis de sódio. A reidratação oral pode ser recomendada para casos leves e moderados, enquanto a reidratação por via endovenosa é recomendada em casos graves, quando o paciente apresenta grande quantidade de vômitos.

É importante frisar que, apesar de ser bastante difundido o uso do soro caseiro, ele só é recomendado quando o paciente necessita de reidratação de forma urgente. Isso acontece porque muitas pessoas fazem a dosagem errada ao preparar o soro, o que pode piorar o quadro do paciente. Hoje a recomendação é que seja usada a solução de reidratação oral distribuída nos postos de saúde e farmácias populares. Caso não seja encontrada a solução, deve-se adquirir a colher-medida nas Unidades Básicas de Saúde para preparar o soro caseiro.

Receita de soro caseiro com uso da colher-medida:

- 1 copo cheio de água limpa;

- Uma medida rasa de sal (lado menor).

- Duas medidas rasas de açúcar (lado maior).


Por Vanessa Sardinha dos Santos
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Freios ABS
Como funcionam os freios ABS? Resolva essa dúvida!

..................................................

Elementos Químicos
Nomes dos novos elementos químicos da tabela periódica.

..................................................