Epidemia

Uma epidemia pode ser definida como o aumento significativo de casos de uma determinada doença, superando o número esperado para o período.

Todos os anos agentes de saúde travam uma luta contra o mosquito-da-dengue para evitar uma epidemia
Todos os anos agentes de saúde travam uma luta contra o mosquito-da-dengue para evitar uma epidemia
Por Vanessa Sardinha dos Santos
PUBLICIDADE

Frequentemente vemos nos noticiários o surgimento de epidemias em diferentes áreas do planeta. No nosso país, por exemplo, enfrentamos várias epidemias de dengue e também de gripe, doenças que causam a morte de várias pessoas todos os anos. Você sabe quando podemos dizer que estamos enfrentando uma epidemia?

O que é epidemia?

A epidemia pode ser definida como um aumento significativo e inesperado de casos de uma doença em uma região, superando o número de casos esperados para a época. A dengue, por exemplo, já é esperada todos os anos no período das chuvas, entretanto, em alguns locais, ocorre um aumento no número de casos que excede o já esperado. Quando isso acontece, temos uma situação epidêmica.

Como podemos ter certeza de que o aumento no número de casos é uma epidemia?

Para determinar se está ocorrendo ou não uma epidemia, é essencial analisar a taxa de incidência da doença. Para obter esse dado, deve-se dividir o número de novos casos pelo número total de indivíduos da população daquele local. Após calcular essa taxa, é necessário compará-la com as médias anteriores para aquela mesma época do ano e verificar se ela supera o chamado limiar epidêmico, um valor preestabelecido para aquela doença. Caso o valor seja superado, temos uma epidemia. Sendo assim, a epidemia é definida quando a taxa de incidência atual supera o limiar epidêmico.

O que diferencia uma epidemia de uma pandemia?

Denominamos de pandemia uma epidemia que se espalha por mais de um país ou continente, sendo, portanto, uma epidemia com larga distribuição geográfica. Podemos citar como exemplo de pandemia a gripe espanhola, que matou cerca de 20 milhões de pessoas ao redor do mundo nos anos de 1918 e 1919. Outro exemplo muito importante de pandemia é o caso da Aids, que atualmente atinge todos os continentes.

Que fatores atuais favorecem o surgimento de epidemias?

Diversos fatores contribuem para que uma epidemia ocorra, a saber:

  • Fatores econômicos: geralmente as epidemias tendem a ocorrer com mais frequência em locais mais pobres, onde o saneamento básico não é adequado, a água muitas vezes não é tratada e as habitações são precárias. Podemos acrescentar a esse fator a falta de informação da população sobre a forma de transmissão de uma doença, o que pode propiciar uma disseminação rápida.

  • Fatores ecológicos: as alterações climáticas também podem favorecer o aumento de casos de uma enfermidade, uma vez que podem desencadear a proliferação de vetores, como é o caso de mosquitos. Isso também se aplica para áreas poluídas e degradadas, que favorecem o contato dos agentes causadores de doenças com a população.

  • Fatores biológicos: epidemias podem surgir também em locais onde a população está mais suscetível a doenças e apresenta comportamentos que facilitam sua transmissão. Além disso, a mutação no próprio agente etiológico também pode determinar uma maior chance de epidemia.


Por Vanessa Sardinha dos Santos
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Genocídio
O genocídio é considerado crime contra a humanidade?

..................................................

Ilusão de ótica
Descubra se há relação entre a ilusão de ótica e a matemática.

..................................................