Síndrome dos Ovários Policísticos

A Síndrome dos Ovários Policísticos é uma doença comum entre as mulheres que provoca ciclos menstruais irregulares e produção exagerada de andrógenos.

Verifique a diferença entre um ovário normal e um ovário policístico
Verifique a diferença entre um ovário normal e um ovário policístico
Por Vanessa Sardinha dos Santos
PUBLICIDADE

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é um distúrbio ovariano muito comum em pessoas do sexo feminino, atingindo cerca de 10% das mulheres na fase reprodutiva. Caracteriza-se pela presença de ovários com volume aumentado em virtude da presença de múltiplos cistos, ausência de ovulação e hiperandrogenismo, uma produção exagerada de andrógenos.

A SOP é frequentemente observada em mulheres obesas ou com sobrepeso, o que faz com que os pesquisadores acreditem que o excesso de peso tenha um papel crucial no desenvolvimento desse problema de saúde, provocando anormalidades metabólicas. Além disso, observa-se que as mulheres com SOP normalmente possuem resistência à insulina e hiperinsulinemia, dois problemas que influenciam a ovulação.

Os sintomas da SOP diferem de mulher para mulher, porém, normalmente, há uma menstruação irregular ou a falta de menstruação e dificuldade para engravidar. Também é comum que pessoas com essa síndrome apresentem espinhas, cravos, excesso de pelo, seborreia e alopécia.

A doença é dificilmente diagnosticada de forma precoce, sendo que a maioria das portadoras da SOP descobre o problema apenas quando tenta engravidar e não consegue. A dificuldade de diagnóstico está relacionada principalmente com o fato de muitas utilizarem contraceptivos hormonais, que escondem os sintomas da doença.

Para a realização do diagnóstico, é fundamental que sejam analisados os sintomas da paciente e alguns exames sejam feitos. A ultrassonografia, por exemplo, será indicada para avaliar a presença de múltiplos cistos no ovário. Exames de sangue também devem ser feitos para observação de alterações hormonais, destacando-se os exames que avaliam os níveis de LH, FSH, prolactina, testosterona e estradiol. O exame da curva glicêmica e resistência à insulina também deve ser realizado.

Mulheres com a SOP apresentam um risco maior de desenvolverem diabetes mellitus, câncer de endométrio e problemas cardiovasculares. Sendo assim, o tratamento precoce do problema é essencial.

O tratamento da SOP é feito principalmente com mudanças nos hábitos de vida da paciente. É fundamental a realização de exercícios físicos e a redução de peso através de uma dieta balanceada, principalmente para as obesas. Medicamentos, como pílulas anticoncepcionais, devem ser usados para que as taxas hormonais sejam controladas, a menstruação seja regulada e os riscos de câncer endometrial sejam reduzidos.

Em mulheres com resistência à insulina, medicamentos podem ser indicados para corrigir esse problema. Além disso, uma alimentação rica em fibras pode ter influência positiva na redução da glicemia.

Atenção: Apesar de essa síndrome ser conhecida pela presença de ovários policísticos, alguns autores não consideram obrigatória a presença desses cistos para que a SOP ocorra. Esse ponto ainda é motivo de divergência entre os médicos.


Por Vanessa Sardinha dos Santos
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Soluções
Revise os seus conhecimentos sobre tipos de soluções.

..................................................

Olho humano
Conheça os nomes das estruturas que formam os olhos.

..................................................