Sistema digestório

Por Paula Louredo Moraes
PUBLICIDADE

Nos seres humanos, o sistema digestório, também chamado de sistema digestivo, é composto pela boca, esôfago, estômago, intestino e ânus. Algumas glândulas, como o pâncreas, fígado e glândulas salivares, também auxiliam na digestão dos alimentos.

É na boca que se inicia a digestão
É na boca que se inicia a digestão

Na boca encontramos a língua e os dentes, que ajudam no preparo dos alimentos para a digestão, fazendo a digestão mecânica. Podemos dizer que a digestão começa na boca, pois os dentes são os responsáveis por cortar e triturar o alimento, para que, em pedaços menores, sofram melhor a ação das enzimas digestivas, tornando a digestão mais rápida. A língua também participa da digestão, afinal é nela que encontramos os botões gustativos capazes de detectar o sabor. Além de identificar os sabores, ela também tem a função de manipular o alimento e misturá-lo à saliva produzida pelas glândulas salivares. A saliva, além de umedecer a mucosa e proteger a boca de bactérias, lubrifica os alimentos para facilitar a sua mastigação, gustação e deglutição. Por conter amilase salivar, também chamada de ptialina, a saliva atua na digestão do amido e do glicogênio, quebrando-o em maltose. A amilase salivar atua no pH neutro da boca, sendo inativada ao chegar no estômago com pH ácido.

Quando o alimento é mastigado e misturado à saliva passa a ser chamado de bolo alimentar. Com a ajuda da língua, esse bolo é empurrado para o esôfago pelo processo que chamamos de deglutição. A faringe e a laringe se comunicam por um canal que leva ar aos pulmões. Quando o bolo alimentar passa por aquele local, entra em ação uma membrana que fecha a laringe, impedindo assim que algum alimento caia nas vias respiratórias. Essa membrana que fecha a laringe se chama epiglote. Por vezes a epiglote pode falhar na passagem de algum alimento, deixando cair pequenas quantidades de alimento na laringe, o que provoca o engasgo e a tosse.

Através do esôfago, o alimento chega até o estômago
Através do esôfago, o alimento chega até o estômago

Depois de deglutido, o alimento vai para o estômago através do esôfago, por meio de movimentos musculares chamados de movimentos peristálticos ou peristaltismo.

No estômago, o alimento sofre a ação de enzimas e do ácido clorídrico
No estômago, o alimento sofre a ação de enzimas e do ácido clorídrico

Quando no estômago, o bolo alimentar sofre ação do suco gástrico, uma solução rica em ácido clorídrico e enzimas digestivas. O suco gástrico é produzido pelas glândulas estomacais que se localizam nas invaginações da mucosa da parede do estômago. O ácido clorídrico tem um pH extremamente ácido, atua na desnaturação das proteínas (facilitando sua digestão), facilita a absorção de cálcio e ferro pelo organismo e destrói milhares de bactérias.

A pepsina é a principal enzima que ocorre no suco gástrico. Essa enzima é secretada por células na forma de pepsinogênio. Quando sofre a ação do ácido clorídrico, transforma-se em pepsina e começa a atuar, digerindo proteínas e quebrando as ligações peptídicas entre alguns aminoácidos.

Mas não é só a pepsina que está presente no suco gástrico. A lipase, enzima que quebra lipídeos; e a renina, que atua na coagulação da caseína (proteína do leite), também estão presentes no ácido clorídrico. A renina é produzida em grande quantidade no estômago de bebês e crianças, sendo pouco produzida pelo estômago de adultos. Parte da água e dos sais, alguns medicamentos e o álcool também são absorvidos no estômago.

Depois de permanecer no estômago de 2 a 4 horas, o alimento se torna uma massa semilíquida e acidificada, que passa a ser chamada de quimo.

O intestino delgado é composto pelo duodeno, jejuno e íleo
O intestino delgado é composto pelo duodeno, jejuno e íleo

Depois de sair do estômago, o quimo é levado para o intestino delgado, que se compõe de três partes: o duodeno, o jejuno e o íleo. No duodeno, há milhares de glândulas que produzem o suco intestinal, também chamado de suco entérico, que contém enzimas. É também no duodeno que são lançadas as secreções produzidas pelo pâncreas (suco pancreático) e as secreções produzidas pelo fígado (bile).

O suco pancreático contém diversas enzimas, como: a tripsina e a quimiotripsina, que quebram as proteínas, transformando-as em moléculas menores; a lipase pancreática, que quebra as gorduras, transformando-as em ácido graxo e glicerol; e a amilase pancreática, que quebra o amido e o glicogênio, transformando-os em maltose. Também no suco pancreático há enzimas que quebram o DNA e o RNA, chamadas, respectivamente, de desoxiribonucleases e ribonucleases. A bile contém sais biliares que transformam as gorduras em gotículas que se misturam com a água, facilitando a ação da lipase pancreática.

Após passar por todas essas transformações no intestino delgado, a digestão se finaliza na região do jejuno e do íleo, que sintetizam um suco intestinal composto pelas enzimas maltase (transforma maltose em glicose) e sacarase (transforma frutose em glicose), lactase (transforma lactose em glicose e galactose), aminopeptidases, dipeptidases e tripeptidases.

Depois de passar por todo esse processo, o quimo se torna um líquido esbranquiçado e passa a ser chamado de quilo. É no intestino delgado que ocorre a absorção da maioria dos nutrientes, que passa para a corrente sanguínea e vasos linfáticos.

No intestino grosso ocorre o final da digestão com a formação das fezes
No intestino grosso ocorre o final da digestão com a formação das fezes

Os restos de alimento que o nosso organismo não aproveita demoram até 9 horas para chegar ao intestino grosso, onde podem permanecer cerca de 1 a 3 dias. O intestino grosso é constituído de ceco (onde está o apêndice), cólon e reto. É no cólon que há absorção de água e sais minerais que porventura não foram absorvidos no intestino delgado. É também no cólon que, durante a permanência do quilo no intestino grosso, ocorre a proliferação de milhares de bactérias que absorvem parte da água e dos sais do quilo, tornando-a sólida e transformando-a em fezes.

As fezes são formadas por água e restos que o corpo não conseguiu digerir, como a celulose. As fezes são eliminadas pelo reto, que possui uma abertura para o meio exterior através do ânus.


Por Paula Louredo Moraes
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Soluções
Revise os seus conhecimentos sobre tipos de soluções.

..................................................

Olho humano
Conheça os nomes das estruturas que formam os olhos.

..................................................