Carvão Mineral

Extração de carvão mineral
Extração de carvão mineral
Por Wagner de Cerqueria e Francisco
PUBLICIDADE

Classificado como uma fonte energética não renovável e de origem fóssil, o carvão mineral é formado através da transformação química do soterramento de raízes, folhas e árvores. Esses organismos vegetais são submetidos a condições com pouco oxigênio, altas temperaturas e pressão da terra; após cerca de 250 milhões de anos, ocorre a formação de uma massa negra homogênea, denominada jazida de carvão mineral.

Para a geologia, o carvão mineral é qualquer rocha que contenha alta concentração de carbono não cristalizado. Conforme a porcentagem de carbono em sua composição, o carvão mineral pode ser encontrado em quatro tipos: antracito (90% a 96%), hulha (75% a 90%), linhita (65% a 75%) e turfa (menos de 65%). As condições ambientais e a época em que foi formado são fatores que influenciam no seu poder calorífico, que está diretamente relacionado com a concentração de carbono.

O potencial energético do carvão mineral foi de fundamental importância para o desenvolvimento industrial, visto que ele foi a principal fonte de energia durante a Primeira Revolução Industrial, no século XVIII – o carvão foi responsável por fornecer energia para as máquinas a vapor. Atualmente, seu uso é mais comum para a geração de eletricidade, através da instalação de usinas termoelétricas.

De acordo com dados divulgados em 2008, pela Agência Internacional de Energia (AIE), o carvão mineral responde por 26,5% da matriz energética global. Os maiores produtores mundiais são a Rússia, Estados Unidos da América (EUA), Canadá e China. No Brasil, os estados da Região Sul, em especial o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, abrigam reservas de carvão.

Porém, é importante destacar que, por ser uma fonte não renovável, ou seja, esgotável na natureza, o carvão mineral está com os dias contados. De acordo com estimativas da AIE, caso se mantenha o ritmo de consumo registrado nas últimas décadas, as jazidas de carvão mineral se esgotarão em menos de 200 anos.

No aspecto ambiental, a combustão do carvão libera dióxido de carbono na atmosfera. Esse fenômeno intensifica o efeito estufa e desencadeia chuvas ácidas. Outros agravantes são o destino final dos resíduos sólidos resultantes da utilização do carvão e os riscos durante sua extração nas jazidas.


Por Wagner de Cerqueria e Francisco
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Algas
Estude os diversos aspectos que caracterizam esses organismos.

..................................................

Força de atrito
Fique por dentro dos diferentes tipos de força de atrito.

..................................................