Batalha da França

Em 10 de maio de 1940, os alemães iniciaram a invasão da França e, após poucas semanas de conflito, conseguiram vencer os franceses e conquistar Paris.

Trecho das defesas fortificadas dos franceses na chamada Linha Maginot, na fronteira com a Alemanha
Trecho das defesas fortificadas dos franceses na chamada Linha Maginot, na fronteira com a Alemanha
Por Daniel Neves Silva
PUBLICIDADE

A Batalha da França marcou a invasão desse país pelas tropas nazistas em maio de 1940, durante a Segunda Guerra Mundial. A França foi conquistada pela Alemanha de Hitler com uma rapidez que foi considerada surpreendente, muito em razão da pouca preparação do exército francês em comparação ao nazista.

Antecedentes da invasão

A Segunda Guerra havia começado em 1º de setembro de 1939 com a invasão da Polônia pelos nazistas. A agressão alemã contra esse país levou Reino Unido e França a declararem guerra à Alemanha, como parte do acordo que haviam assinado com a Polônia. Esse acordo estipulava que, caso a Polônia fosse agredida, britânicos e franceses iriam em seu auxílio militarmente.

No entanto, a Polônia foi largada à própria sorte e, em menos de um mês, os nazistas conquistaram a capital, Varsóvia. Em seguida, a Alemanha voltou-se para a invasão de França, Bélgica e Holanda. Esse plano, porém, precisou ser adiado duas vezes. Então, Hitler foi convencido a invadir a Noruega para garantir o controle de bases aéreas estratégicas da região.

Com a invasão da Noruega em curso, Hitler ordenou que a invasão da França fosse realizada. Vale destacar que, nesse momento da guerra (maio de 1940), os Aliados eram formados por Reino Unido e França, e o Eixo era formado por Alemanha e Itália.

Estratégias de batalha

Primeiramente, a vitória sobre a França era crucial para a Alemanha, pois isolaria o Reino Unido na Europa. Isso facilitaria as chances alemãs de promover a invasão da União Soviética e, assim, concretizar os planos de Hitler de destruição do bolchevismo e criação do seu “espaço vital” no Leste Europeu.

A estratégia de batalha alemã consistia em realizar ataques simultâneos em diferentes pontos da fronteira francesa de forma a mascarar o principal movimento, que seria realizado por uma das tropas. As forças alemãs estavam organizadas em três grupos:

  • Grupo de Exércitos B: esse grupamento invadiria e conquistaria a Holanda e a Bélgica para, em seguida, realizar o ataque contra a França.

  • Grupo de Exércitos A: esse grupamento invadiria a França a partir da Floresta das Ardenas.

  • Grupo de Exércitos C: esse grupamento atacaria a Linha Maginot, fortificações francesas construídas ao longo da fronteira da França com a Alemanha.

Resumidamente, a estratégia alemã consistia em atacar a França a partir da Bélgica e Holanda para atrair as forças francesas. Em seguida, os alemães atacariam a França após cruzar a Floresta das Ardenas, uma região de florestas densas e considerada intrafegável pelos franceses. O objetivo dos alemães ao atacar por esse território era investir exatamente onde os franceses menos esperavam e, a partir do avanço nas Ardenas, realizar um movimento de pinça para encurralar os exércitos franceses entre o Grupo de Exércitos A e B.

Já a estratégia francesa era levar o conflito para fora dos territórios franceses (o primeiro-ministro francês, Édouard Galadier, defendia que o conflito acontecesse em território belga). A França carregava muitos traumas causados pela intensa destruição durante a Primeira Guerra Mundial e, nesse momento, fazia o possível para evitar a repetição disso.

No entanto, o que a França não sabia era que a sua estratégia de guerra era exatamente a esperada pelos alemães. Além disso, a falta de tato do comando francês em perceber a real estratégia da Alemanha custou caro e levou à rápida derrota francesa.

Invasão da França

A invasão da França começou no dia 10 de maio de 1940 com o ataque realizado sobre a Bélgica e a Holanda, simultaneamente. Esse ataque aos dois países aconteceu com o auxílio de paraquedistas, e o destaque foi a Batalha do Forte Eben Emael, em que os alemães conquistaram o forte belga em poucas horas de luta.

Enquanto os exércitos franceses avançavam para a Bélgica, o principal movimento era realizado sobre as Ardenas, onde 134 mil homens marchavam pela densa floresta com o objetivo de atacar o ponto mais fraco da defesa francesa. Ao sul, os alemães atacavam a zona fortificada dos franceses chamada Linha Maginot.

Após os alemães terem cruzado a floresta das Ardenas, a defesa francesa desorganizou-se e iniciou um movimento de fuga. Quando os soldados nazistas cruzaram o rio Meuse, eles realizaram o movimento de pinça e cercaram cerca de 300 mil soldados franceses, belgas e britânicos na região de Dunquerque. Para evitar um desastre, o Reino Unido iniciou a Retirada de Dunquerque, a qual mobilizou milhares de embarcações de todos os tipos e evacuou cerca de 338 mil soldados, que estavam cercados pelas tropas alemãs.

A retirada de Dunquerque, apesar de ser vista como um feito heroico, não impediu que a França fosse derrotada e, no dia 22 de junho de 1940, o país foi oficialmente conquistado. Com a derrota francesa, Hitler voltou-se para a destruição da Inglaterra e iniciou a preparação dos planos de invasão da União Soviética, que foi iniciada um ano depois.


Por Daniel Neves Silva
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Herbário
Os herbários são importantes no estudo da biodiversidade?

..................................................

Neblina
Afinal, o que é a neblina e como ela se forma? Leia aqui!

..................................................