Guerras Púnicas

As Guerras Púnicas foram conflitos que ocorreram entre Roma e Cartago entre os séculos III e II a.C.

Cartago foi a principal inimiga de Roma à época da expansão dessa última
Cartago foi a principal inimiga de Roma à época da expansão dessa última
Por Cláudio Fernandes
PUBLICIDADE

Entre os séculos IV a.C., III a.C. e II a.C., a República Romana conseguiu transformar-se em uma enorme potência em franca expansão territorial. Essa expansão começou nos domínios da própria Península Itálica, onde a cidade se desenvolveu e de onde passou a estender os seus domínios para outras regiões da Europa, tanto na base continental quanto em direção ao Mar Mediterrâneo. Contudo, no âmbito do Mar Mediterrâneo, havia outra cidade-estado, situada no Norte da África (na atual Tunísia), que também buscava o monopólio comercial, político e militar. Essa cidade era Cartago. Assim, a guerra entre Roma e Cartago tornou-se inevitável.

Cartago era uma cidade fundada por fenícios, que eram conhecidos pelos romanos sob o nome de punis. Por essa razão, as guerras contra os cartagineses passaram ficaram conhecidas como Guerras Púnicas. Ao todo, foram três guerras: duas ocorridas no século III a.C. e uma ocorrida no século II a.C. No entanto, antes das duas cidades enfrentarem-se, alguns acordos foram firmados entre elas, como os tratados comerciais ao longo do período de 348 a 306 a.C. Outro tratado foi feito no ano de 279 a.C. com vistas a confrontar o rei Pirro, de Épiro e da Macedônia, que tinha domínios sobre o Sul da Itália.

Com a morte de Pirro, em 272 a.C., Roma ficou com grande parte da região sul da Península Itálica e passou a concentrar os seus esforços expansionistas nas ilhas do Mediterrâneo. Entretanto, algumas dessas ilhas estavam sob domínio cartaginês. Os acordos entre as duas potências não puderam prosseguir e o conflito não tardou a acontecer. A Primeira Guerra Púnica começou no ano de 264 a.C. e estendeu-se até o ano de 241 a.C.. Essa guerra foi vencida por Roma, que ficou com a posse das ilhas da Sicília, Córsega, Sardenha e Lípare, além da influência sobre o Estreito de Messina.

A Segunda Guerra Púnica ocorreu no fim do século III a.C., entre os anos de 218 e 201 a.C. O estopim dessa segunda guerra foi a invasão da cidade de Sagunto, parceira comercial de Roma, pelo general cartaginês Aníbal. Aníbal promoveu grandiosas batalhas contra os exércitos romanos, chegando a avançar sobre territórios já conquistados por Roma e a ameaçar as próprias fronteiras dessa cidade-estado. Apesar das grandes vitórias de Aníbal, os romanos, liderados pelo militar Cipião, o Africano, conseguiram derrotar o general cartaginês.

Com a segunda derrota, os cartagineses foram obrigados a pagar uma indenização de 10 mil talentos (moeda) para os romanos, além de terem de ceder praticamente todos os seus territórios a Roma, bem como seus prisioneiros de guerra e seus escravos. Os domínios de Cartago passaram a restringir-se à costa africana, onde a cidade estava assentada.

Entretanto, em 146 a.C., os romanos promoveram a Terceira Guerra Púnica, cercando e destruindo por completo a cidade, arrasando as terras férteis com sal e escravizando a população sobrevivente.


Por Cláudio Fernandes
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Soluções
Revise os seus conhecimentos sobre tipos de soluções.

..................................................

Olho humano
Conheça os nomes das estruturas que formam os olhos.

..................................................