Quando usar ponto final e ponto e vírgula

O ponto final e o ponto e vírgula são sinais de pontuação que indicam uma pausa entre as unidades de forma e sentido.

O ponto final e o ponto e vírgula são usados na indicação de pausa
O ponto final e o ponto e vírgula são usados na indicação de pausa
Por Mariana Rigonatto
PUBLICIDADE

Em língua portuguesa, existem dois tipos de sinais de pontuação: os que indicam pausas entre unidades de forma e sentido, e os que delimitam unidades com entonações específicas da fala. Nesse texto, trataremos de dois sinais de pontuação que correspondem à indicação de pausa, o ponto final e o ponto e vírgula.

  • Ponto Final

a) Usado para indicar o final de uma oração declarativa, seja em período simples (oração absoluta) ou em período composto.

Observe o uso dessa pontuação em destaque no parágrafo:

Técnica combate em 30% as alucinações auditivas da esquizofrenia
O envio de pulsos magnéticos para o cérebro se destaca, ainda, por ser indolor e não invasivo.

Um dos sintomas mais comuns da esquizofrenia, as alucinações auditivas, são motivo de grande sofrimento para o portador desse transtorno psiquiátrico. Embora medicamentos antipsicóticos consigam controlar, em grande parte das vezes, as manifestações da doença, eles nem sempre são capazes de calar as vozes que insistem em penetrar a mente dos pacientes. Agora, um estudo preliminar apresentado no Congresso Europeu de Neuropsicofarmacologia, em Paris, mostrou que a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT), uma técnica não invasiva e praticamente sem efeitos colaterais, combate esse problema. O trabalho será publicado, ainda sem data definida, no Schizophrenia Bulletin.

Oliveto, P. Técnica combate em 30% as alucinações auditivas da esquizofrenia. Correio Braziliense, 2017. Disponível em:<http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2017/09/05/interna_ciencia_saude,623408/como-diminuir-os-efeitos-da-esquizofrenia.shtml>. Acesso em: 06 set. 2017.

Perceba que os pontos finais, em destaque no texto, encerram orações declarativas. A primeira compondo um período simples é, portanto, uma oração declarativa absoluta. Já a segunda e a terceira orações tratam-se de orações declarativas derradeiras de períodos compostos. No entanto, em ambos os casos, é possível notar que o ponto final foi utilizado para indicar uma pausa entre as unidades de sentido que compõem cada uma uma das orações.

b) Indicar o final de um parágrafo.

Observe a continuação do texto sobre esquizofrenia:

Descrita há um século, a esquizofrenia caracteriza-se por uma variedade de sintomas que podem incluir delírios e alucinações. No curso do transtorno, cerca de 70% dos pacientes sofrerão algum episódio da alucinação auditiva-verbal, o popular “ouvir vozes”. Em alguns casos, esses sons podem ser contínuos, gerando uma alta carga de sofrimento. Em outros, as vozes colocam em risco a vida de quem tem o distúrbio e das pessoas em redor. Não existe, atualmente, um tratamento que tenha como alvo específico esse tipo de perturbação mental.

A aposta de uma equipe de pesquisadores da Universidade de Caen, na França, para atacar a alucinação auditiva-verbal é a EMT, que tem se tornado bastante popular no tratamento de uma variedade de condições neurológicas e psíquicas. Regulamentada pela Agência Brasileira de Vigilância Sanitária (Anvisa) para tratamento de depressão, a técnica também tem se mostrado eficaz no combate a doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Huntington, e de condições como transtorno pós-traumático, compulsão alimentar, drogadição e ansiedade, além de auxiliar na recuperação de pacientes que sofreram acidente vascular cerebral (AVC). “No PubMed (banco de dados de artigos científicos), há mais de 12 mil publicações sobre a EMT”, conta o neurocientista Nasser Allam, membro da Academia Brasileira de Neurologia e um dos pioneiros do uso da estimulação magnética transcraniana.

Oliveto, P. Técnica combate em 30% as alucinações auditivas da esquizofrenia. Correio Braziliense, 2017. Disponível em:<http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2017/09/05/interna_ciencia_saude,623408/como-diminuir-os-efeitos-da-esquizofrenia.shtml>. Acesso em: 06 set. 2017.

É possível notar que, quando utilizado no final do parágrafo, o ponto final possui a função de indicar uma pausa entre o aspecto tratado no parágrafo e o início de um novo aspecto no parágrafo seguinte. Assim, no primeiro parágrafo, temos a definição das características da esquizofrenia e, no segundo parágrafo, temos a apresentação da técnica utilizada pelos pesquisadores franceses no combate aos sintomas característicos dessa doença. Dessa forma, apesar dos assuntos serem relacionados nos dois parágrafos, percebe-se que cada um trata de um aspecto diferente do tema presente no texto, o que justifica a divisão em parágrafos diferentes e o uso do ponto final para sinalizar essa pausa entre um e outro.

c) Indicar o final de um texto.

Veja o final do artigo sobre esquizofrenia:

De acordo com Allam, eventualmente, por razões humanitárias, pacientes de distúrbios psiquiátricos e males neurodegenerativos são submetidos à técnica, que não tem efeitos colaterais e é segura, quando aplicada por profissionais habilitados. Ele destaca, porém, que, com a popularidade da estimulação magnética transcraniana, pessoas que não são credenciadas para tratar pacientes estão oferecendo as sessões.

Oliveto, P. Técnica combate em 30% as alucinações auditivas da esquizofrenia. Correio Braziliense, 2017. Disponível em:<http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2017/09/05/interna_ciencia_saude,623408/como-diminuir-os-efeitos-da-esquizofrenia.shtml>. Acesso em: 06 set. 2017.

Note que o texto é encerrado com um parágrafo de alerta, o qual retoma a importância do uso da técnica, mas destaca que ela deve ser realizada por profissionais habilitados e refere-se à sua prática por pessoas não habilitadas. Apesar de citar essa prática arbitrária da técnica, a autora finaliza o texto sem ampliar a abordagem desse aspecto negativo, pois o foco do texto é o uso da técnica em si e seus benefícios, e não de abusos em relação a esse uso.

  • Ponto e vírgula

Como a própria terminologia nos induz a pensar, esse sinal de pontuação está entre o ponto e a vírgula, aproximando-se de um ou de outro de acordo com as pausas necessárias no enunciado e, por isso, seu uso dependerá muito do contexto, apesar de ser possível estabelecer alguns parâmetros para norteá-lo:

a) Para separar, no perído composto, orações que possuam a mesma natureza.

Exemplo:

Durante seu período como presidente, defendeu os direitos dos trabalhadores; na presidência atual, os trabalhadores foram esquecidos. (orações coordenadas)

b) Para separar partes de um período que já possuam subdivisões por vírgula.

Exemplo:

Chamo-me Francisco; ele, João; ela, Maria.

c) Para separar itens de enunciados enumerativos.

Veja um exemplo no artigo 3º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e perceba como entre um item e outro foi utilizado o ponto e vírgula:

Art. 3º O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber;

III - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas;

IV - respeito à liberdade e apreço à tolerância;

V - coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;

[...]


Por Mariana Rigonatto
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

O que é força?
Você sabia que a força é um tipo de grandeza? Revise!

..................................................

Savanas
Fique por dentro dos aspectos que marcam essa vegetação.

..................................................