Cinco tópicos fundamentais sobre radioatividade no Enem

Separamos para você cinco tópicos sobre radioatividade no Enem que exploram temas como tipos de radiações, meia-vida, benefícios e malefícios da radiação, além de fissão e fusão nuclear.

Símbolo utilizado para identificar a presença de radiação
Símbolo utilizado para identificar a presença de radiação
Por Diogo Lopes Dias
PUBLICIDADE

A radioatividade está relacionada com o estudo da emissão de radiações a partir do núcleo de um átomo, bem como com o comportamento e aplicações delas. Pensando em auxiliar o estudante que está se preparando para o Enem, o foco deste texto é abordar cinco tópicos fundamentais sobre radioatividade no Enem.

Por se tratar de um assunto que sempre foi abordado em vestibulares e que apresenta diversas aplicações em várias atividades do ser humano, o Enem tem abordado a radioatividade com frequência.

→ Tópicos fundamentais sobre radioatividade no Enem

1º) Características das radiações

Sabe-se que as três radiações emitidas por um radioisótopo (isótopo que elimina radiação) são alfa, beta e gama. Todas elas apresentam importantes particularidades:

  • Alfa (2α4): radiação formada por dois prótons e dois nêutrons que apresenta um baixo poder de penetração e desloca-se pelo ar com 10% da velocidade da luz;

  • Beta (-1β0): radiação formada por um elétron e que apresenta poder de penetração maior que o da radiação alfa. Desloca-se pelo ar com 90% da velocidade da luz;

  • Gama (0γ0): radiação formada por uma onda eletromagnética e que apresenta um poder de penetração maior que o das radiações alfa e beta, deslocando-se pelo ar com a velocidade da luz.

2º) Utilizações da radiação

A radiação apresenta diversas aplicações, as quais influenciam o dia a dia da sociedade de forma direta ou indireta, como:

  • Determinação da idade de um ser vivo ou peça qualquer, como feito no processo da datação do carbono (confira como funciona essa técnica clicando aqui);

  • Utilizada na agricultura para a conservação de vegetais, como é o caso da batata, por meio de uma técnica denominada de irradiação;

  • Utilizada para estudar o crescimento de vegetais ou a forma como insetos comportam-se em uma plantação por meio de uma técnica denominada de traçadores radioativos,

  • Utilizada na inspeção de aeronaves para verificação de defeitos ou danos;

  • Utilizada na esterilização de componentes hospitalares, como materiais de segurança individual, luvas, seringas etc.;

  • Utilizada na medicina para a destruição de tumores.

3º) Prejuízos provocados pela radioatividade ao ser humano

Dependendo da quantidade de radiação a que o ser humano for exposto, os prejuízos causado são:

  • Queimaduras graves;

  • Lesões no sistema nervoso central;

  • Lesões no sistema gastrointestinal;

  • Náuseas;

  • Vômitos;

  • Queda do cabelo;

  • Desenvolvimento de células tumorais (câncer);

  • Pode provocar a morte imediata, quando a quantidade de radiação for muito intensa ou quando utilizada em bombas (como a bomba atômica).

4º) Meia-vida

Meia-vida ou período de semidesintegração é o tempo que um material radioativo leva para perder metade da sua massa e da sua capacidade de eliminar radiação. Quando dizemos que o césio-137 possui meia-vida de 30 anos, queremos dizer que, se tivermos 10 gramas de césio-137, após 30 anos, teremos apenas 5 gramas.

5º) Fissão e fusão nuclear

a) Fissão nuclear

Fissão nuclear é a quebra de um núcleo pesado, como o do átomo de urânio, provocada pelo bombardeamento por nêutrons, formando sempre dois novos núcleos menores e ocorrendo liberação de dois ou mais nêutrons. Veja um exemplo de equação nuclear que representa o processo de fissão:

92U238 + 0n156Ba137 + 36Kr100 + 20n1

Trata-se de um processo que libera uma considerável quantidade de energia térmica, a qual pode ser convertida em energia elétrica, por exemplo. Porém, todos os novos núcleos formados são radioativos, ou seja, é um processo que gera lixo nuclear.

b) Fusão nuclear

Fusão nuclear é a união de dois ou mais núcleos de átomos leves (no caso, o hidrogênio), tendo como resultado a formação de um único novo núcleo (obrigatoriamente o hélio, cujo número atômico é 2, já que são utilizados dois átomos de hidrogênio, cujo número atômico é 1). Veja a equação nuclear que representa a fusão:

1H1 +1H22He3

Assim como a fissão nuclear, a reação de fusão também produz energia, mas muito mais do que na fissão. Outra vantagem da fusão é a de que o hélio produzido não é radioativo, não gerando, portanto, lixo radioativo.

→ Resolução de questões do Enem sobre radioatividade

(ENEM 2007 - Questão 25) A duração do efeito de alguns fármacos está relacionada com a sua meia-vida, tempo necessário para que a quantidade original do fármaco no organismo se reduza à metade. A cada intervalo de tempo correspondente a uma meia-vida, a quantidade de fármaco existente no organismo no final do intervalo é igual a 50% da quantidade no início desse intervalo.

O gráfico acima representa, de forma genérica, o que acontece com a quantidade de fármaco no organismo humano ao longo do tempo. A meia-vida do antibiótico amoxicilina é de 1 hora. Assim, se uma dose desse antibiótico for injetada às 1 h em um paciente, o percentual dessa dose que restará em seu organismo às 13h30min será aproximadamente de:

a) 10%.

b) 15%.

c) 25%.

d) 35%.

e) 50%.

Resolução: A resposta é a letra d).

Dados fornecidos pelo exercício:

  • Meia-vida da amoxicilina: 1 hora;

  • Hora que o paciente recebeu a dose: 12h;

  • Horário final a ser avaliado: 13h30.

1o Passo: Determinação do número de meias-vidas

  • O exercício questiona a quantidade de radiação que sobra no intervalo de 12 horas até 13h30, ou seja, um intervalo de 1 hora e meia (1,5h);

  • Como a meia-vida da amoxicilina é de 1 hora, logo, a quantidade de meias-vidas é de 1,5.

2o Passo: Utilizar a quantidade de meias-vidas no gráfico

Sabendo que a quantidade de meias-vidas utilizadas no período de 12 horas até 13h30 é de 1,5, devemos:

  • Ligar (tracejado vermelho) o eixo x até a curva de desintegração, partindo da marca entre 1 e 2 meias-vidas;

  • Realizar um tracejado na horizontal, partindo da curva de desintegração em direção ao eixo y (porcentagem de material ainda restante):

O resultado do tracejado está entre 30 e 40, exatamente na marca de 35%.

(ENEM/2012) A falta de conhecimento em relação ao que vem a ser um material radioativo e quais os efeitos, consequências e usos da irradiação pode gerar o medo e a tomada de decisões equivocadas, como a apresentada no exemplo a seguir. “Uma companhia aérea negou-se a transportar material médico por este portar um certificado de esterilização por irradiação.” Física na Escola, v.8,n.2. 2007 (adaptado). A decisão tomada pela companhia é equivocada, pois:

a) o material é incapaz de acumular radiação, não se tornando radioativo por ter sido irradiado.

b) A utilização de uma embalagem é suficiente para bloquear a radiação emitida pelo material.

c) a contaminação radioativa do material não se prolifera da mesma forma que as infecções por micro-organismos.

d) o material irradiado emite radiação de intensidade abaixo daquela que ofereceria risco à saúde.

e) o intervalo de tempo após a esterilização é suficiente para que o material não emita mais radiação.

Resolução: A resposta desse exercício é a letra a) porque a radiação é utilizada com o objetivo de eliminar os micro-organismos do material. O material irradiado não apresenta a capacidade de armazenar a radiação, não se tornando, portanto, radioativo.


Por Diogo Lopes Dias
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Guerra Fria
Revise os fatos que marcaram esse período de tensão mundial.

..................................................

Dicas de inglês
Que tal começar a pensar usando a língua inglesa?

..................................................