Polônio

O polônio é um elemento químico 400 vezes mais radioativo que o urânio. Ele foi descoberto pelo casal Curie, em 1898, em minérios de urânio.

A ilustração mostra as principais propriedades do elemento químico polônio
A ilustração mostra as principais propriedades do elemento químico polônio
Por Jennifer Rocha Vargas Fogaça
PUBLICIDADE

O polônio é um elemento químico de número atômico 84, pertence ao 6º período da família 16 (calcogênios) da tabela periódica, tem massa molar de 208,98 g/mol, temperatura de fusão igual a 254 ºC e temperatura de ebulição igual a 962 ºC, portanto, encontra-se no estado sólido em temperatura ambiente (cerca de 25ºC).

Átomo de polônio
Átomo de polônio

Esse elemento é radioativo e possui sete isótopos naturais, que são: 216Po e 212Po (provenientes da série do decaimento do 232Th), 215Po e 211Po (provenientes da série de decaimento do 235U) e 218Po, 214Po e 210Po (provenientes da série do decaimento do 238U). Com exceção do isótopo 210Po, que é o mais abundante na natureza e que possui meia-vida de 138,376 dias, todos os demais possuem meias-vidas muito curtas.

A descoberta do polônio foi realizada pelo casal mais conhecido no estudo da radioatividade, Pierre Curie (1859-1906) e Marie Curie (1867-1934). Até então, os únicos elementos radioativos conhecidos eram o urânio e o tório. Mas em abril de 1898, o casal Curie observou que dois minérios do urânio, a pechblenda (óxido de urânio) e a calcolita (fosfato de cobre e uranila), eram bem mais radioativos que o próprio urânio. Isso só podia significar que havia algum outro elemento químico mais radioativo que o urânio.

O governo austríaco providenciou uma tonelada de pechblenda para o casal Curie. Depois de um trabalho bastante árduo, eles conseguiram isolar um novo elemento químico que era 400 vezes mais radioativo que o urânio. Em 18 de julho de 1898, eles enviaram um relatório para a Academia de Ciências de Paris que foi lido por Henri Bequerel. Nesse relatório, eles comunicavam sobre o novo elemento descoberto, ao qual deram o nome de Polônio em homenagem à terra natal de Marie Curie, a Polônia. Provavelmente ela pretendia com isso chamar a atenção para o seu país que, até então, não era independente, mas era partilhado pelo império russo, alemão e austro-húngaro.

A título de curiosidade, é interessante citar que o casal Curie continuou com seu trabalho, pois eles observaram que a radiação emitida pelos minérios eram ainda maiores que a emitida pelo polônio e urânio juntos, o que resultou na descoberta do quarto elemento radioativo, o rádio. Ele recebeu esse nome porque era duas milhões de vezes mais radioativo que o urânio.

A descoberta desses elementos químicos rendeu à Marie Curie o Prêmio Nobel de Química em 1911. Ela ganhou também o Prêmio Nobel de Física em 1913.

Selo francês mostrando Marie Curie, que ganhou dois prêmios Nobel em Física e Química por seu trabalho com radioatividade e a descoberta de elementos
Selo francês mostrando Marie Curie, que ganhou dois prêmios Nobel em Física e Química por seu trabalho com radioatividade e a descoberta de elementos

Isso nos mostra que a ocorrência natural do polônio é, em sua maioria, nos minerais de urânio. Na crosta terrestre, a abundância desse elemento é de 2 . 10-10 mg/kg; já no mar, a sua abundância é de 1,5 . 10-14 mg/L. A presença do polônio-210 em águas superficiais (rios e lagos) vem da deposição atmosférica desses radionuclídeos, que são produzidos pelo decaimento do 222Rn e também pela lixiviação das rochas. Já em poços rasos, ele é oriundo do arraste das águas das chuvas e também da lixiviação das rochas próximas.

Conforme já mencionado, em condições ambientes, o polônio é sólido, possui brilho metálico parecido com o do chumbo (sendo considerado um semimetal, pois possui propriedades intermediárias entre os metais e os ametais) e também conduz corrente elétrica como os metais, todavia, fragmenta-se facilmente como os ametais.

Ele dissolve-se bem em ácidos, formando soluções com íons Po2+, e pode chegar ao Nox +4 quando em ácidos oxidantes concentrados. O polônio também reage com soluções alcalinas (básicas) e com halogênios, produzindo haletos.

O 210Po emite, em sua maioria, partículas alfa de energia de 7,6 MeV, mas emite também doze grupos de partículas de longo alcance que vão de 8,2 a 10,5 MeV. As emissões alfa do polônio não são perigosas quando se encontram fora do organismo, porque elas possuem baixo poder de penetração. Como mostra o texto Radiações alfa, beta e gama, essas partículas não conseguem atravessar nem mesmo uma folha de papel.

No entanto, se for ingerido ou inalado, pode representar riscos, pois ele possui meia-vida de 50 dias no organismo, levando ao desenvolvimento de câncer de pulmão. Inclusive, as folhas de fumo absorvem o polônio presente no ar proveniente do decaimento do radônio e também o absorvem pelas raízes. O resultado é que o cigarro possui esse elemento e leva os seus usuários a desenvolverem câncer de pulmão.

O cigarro possui polônio, o que pode causar câncer de pulmão
O cigarro possui polônio, o que pode causar câncer de pulmão

Além de radioativo, o polônio é também muito tóxico. Tanto que ele foi usado como veneno em 2006 para matar o ex-espião russo da KGB, Alexander Litvinenko.

Mas o polônio também possui aplicações benéficas. Ele é usado, por exemplo, como fonte de nêutrons quando misturado ou em forma de liga com o berílio. Ele foi a fonte radioativa usada no Experimento de Rutherford, que resultou na descoberta da estrutura atômica e em um novo modelo atômico (leia o texto O átomo de Rutherford).

Ele também é usado pela indústria para eliminar eletricidade estática causada pela laminação de papel, manufatura de plásticos e fiação de fibras sintéticas; é selado em escovas ou pincéis que removem a poeira de filmes fotográficos e lentes de câmeras; é usado para melhorar a performance das velas de motores de combustão interna e vem sendo estudado como possível fonte de calor para a fabricação de pilhas termoelétricas de pouco peso que seriam usadas em satélites artificiais.


Por Jennifer Rocha Vargas Fogaça
DESTAQUES
Confira os destaques abaixo

..................................................

Vikings
Quais são as principais características desses povos?

..................................................

Eu lírico
Você sabe o que difere o eu lírico do autor literário?

..................................................