Alunos Online


Anemia ferropriva (por carência de ferro)

A anemia é uma síndrome na qual os índices de hemoglobina no sangue apresentam-se abaixo do normal, geralmente em virtude da carência de um ou mais nutrientes. Nesses casos, o ferro é o mais frequentemente associado (90% dos casos).

A hemoglobina é um pigmento encontrado nas hemácias, responsável pelo transporte de oxigênio dos pulmões aos tecidos. Considerando que o ferro desempenha função muito importante no que tange à formação das hemácias, e também auxilia a hemoglobina na execução da tarefa citada anteriormente; não é difícil perceber os males que a anemia ferropriva, como é chamada neste caso, pode provocar.

Crianças e mulheres, inclusive gestantes e lactantes, pertencem ao grupo mais frequentemente afetado pela anemia. Os sintomas são inespecíficos, mas fadiga, apatia, palidez, dores musculares; fragilidade da pele, unha e cabelos; taquicardia, dificuldade de aprendizagem e enfraquecimento do sistema imune, propiciando maior incidência de infecções; são os mais significativos. Crianças, ainda, podem ter seu crescimento retardado.

A carência de ferro está associada, mais frequentemente, a deficiências nutricionais e perda sanguínea. Assim, em casos de suspeita, é interessante buscar auxílio médico para que seja feito o diagnóstico correto e, caso seja confirmada a síndrome, investigar as causas, já que muitos fatores podem estar envolvidos – como a ingestão de aspirina, parasitoses intestinais, gastrites hemorrágicas, menstruação abundante e até mesmo a presença de tumores malignos. Na maioria dos casos, para o diagnóstico, são feitos hemogramas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tratando-se de casos em que há a carência nutricional do ferro, a prevenção consiste primordialmente na ingestão de alimentos ricos nesse nutriente, tais como vegetais verde-escuros (couve, agrião, taioba, salsa, etc.), feijão, grão-de-bico, fava, lentilha, ervilha, nozes, beterraba, açúcar mascavo, carne (principalmente as vísceras, como coração, fígado e pulmão), mariscos, e farináceos enriquecidos com ferro. Quanto a esta questão, pesquisadores da USP desenvolveram salgadinhos preparados a partir de farinha de grão-de-bico, milho e pulmão bovino; e estes, após serem amplamente utilizados por algumas escolas e creches, foram capazes de reduzir consideravelmente a incidência de anemia entre os alunos (leia mais sobre este assunto aqui). Vale lembrar que, para que o organismo tenha um maior aproveitamento do ferro ingerido, é importante acrescentar ao prato alimentos ricos em vitamina C, tais como acerola, laranja, abacaxi, kiwi, pimentão, repolho e tomate; ou ingerir o suco contendo frutas cítricas, logo após a refeição.

Quanto ao tratamento, ele dependerá das causas da síndrome, e também do grau de sua incidência. Pode ser necessário o uso de medicamentos, como o sulfato ferroso ou gliconato ferroso. No entanto, somente o médico será capaz de dar as devidas orientações.

Carne e leguminosas, como a fava, são alimentos ricos em ferro, capazes de prevenir a anemia ferropriva.

Carne e leguminosas, como a fava, são alimentos ricos em ferro, capazes de prevenir a anemia ferropriva.

Por: Mariana Araguaia