Alunos Online


Anfioxo

Animal do filo Chordata, o anfioxo compõe o grupo mais basal dos cordados atuais e passa grande parte da vida enterrado no fundo do mar.

O filo Chordata possui cerca de 56000 espécies, e os seus representantes são geralmente chamados de vertebrados, apesar de nem todos organismos desse grupo apresentarem coluna vertebral. Esse filo inclui organismos que apresentam obrigatoriamente quatro características básicas:

1. Notocorda;

2. Cordão nervoso dorsal oco;

3. Fendas faringianas;

4. Cauda muscular pós-anal.

Entre os cordados, podemos citar os anfioxos, o grupo mais basal dos cordados atuais (Cephalochordata).

→ Os anfioxos

Os anfioxos possuem forma parecida com a de uma lâmina. Dessa característica, provém seu nome, que significa “pontiagudo em ambas as extremidades”. Esses animais marinhos, que podem atingir até 6 cm de comprimento, são encontrados em águas oceânicas das plataformas continentais. São conhecidas 25 espécies de anfioxos, entretanto, no Brasil, existe apenas uma: Branchiostoma platae.

Em sua fase larval, os anfioxos apresentam notocorda, uma estrutura típica dos cordados que se carateriza por ser um cordão nervoso dorsal oco. Além da notocorda, observamos fendas faringianas e cauda pós-anal. Durante a fase larval, o anfioxo alimenta-se de plâncton e outras partículas presentes no meio, além de nadar ativamente.

Após uma metamorfose para a fase adulta, o anfioxo passa a habitar o fundo do mar, enterrando-se na areia. Percebe-se aqui que o hábito ativo e natante das larvas é substituído pelo hábito escavador e sedentário. Vale destacar que, em algumas poucas espécies, esse comportamento das larvas continua.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Ao enterrar-se, é possível verificar apenas a boca do anfioxo. Cílios garantem que a água do mar seja levada até a boca desse animal, onde o muco produzido pelas fendas faringianas efetuam a captura das partículas de alimento. Nos anfioxos, as fendas faringeas não estão associadas a tecido branquial, pois estão relacionadas à alimentação por filtração, e não às trocas gasosas.

Apesar de ficar grande parte do tempo enterrado, o anfioxo é capaz de deixar sua toca e nadar até outro local. Sua natação é semelhante a dos peixes e baseia-se na contração coordenada de músculos presentes na lateral do animal, levando à flexão da notocorda, o que produz ondulações de um lado para outro que impulsionam o corpo para a frente. A presença da notocorda impede que o corpo do animal seja encurtado durante a contração dos músculos.

Esses animais são dioicos, e suas gônadas podem ser vistas por causa da transparência de seu corpo. Eles possuem ainda uma cavidade corporal denominada de átrio, que é formada por evaginações da parede do corpo. Seu sistema circulatório é similar ao dos vertebrados, com uma estrutura semelhante a um coração, que força o sangue por meio das brânquias. Os anfioxos não possuem rim, porém apresentam células especializadas na excreção.

Estrutura do corpo de um anfioxo

Estrutura do corpo de um anfioxo

Por: Vanessa Sardinha dos Santos