Alunos Online


Aranhas peçonhentas

No Brasil, encontramos diversas espécies de aranhas peçonhentas que estão inclusas nos gêneros Phoneutria, Loxosceles e Latrodectus.

São frequentes os relatos de acidentes com animais peçonhentos no Brasil, entre eles, destacam-se as cobras, escorpiões e aranhas. No nosso país há três gêneros de aranhas que possuem importância médica: Phoneutria, Loxosceles e Latrodectus. As caranguejeiras (Megalomorphae), apesar de muito temidas, não causam graves problemas.

Entre as espécies que mais causam acidentes, destacam-se as do gênero Phoneutria, conhecidas popularmente como “aranhas armadeiras”. Elas recebem esse nome porque, quando se sentem ameaçadas, erguem suas patas dianteiras e apoiam-se nas patas traseiras. Essas espécies não constroem teias e ficam escondidas durante o dia embaixo de entulhos, lenha, em plantas, como a bananeira e as palmeiras, entre outros locais.

A picada da aranha armadeira causa dores locais que se irradiam através do membro que foi atingido. Observa-se, no local, inchaço e vermelhidão. Em casos mais graves, podem ocorrer vômitos intensos, convulsões, insuficiência cardíaca, edema pulmonar, coma e até mesmo a morte. Para o tratamento são usados analgésicos e anestésicos. A soroterapia só é indicada para menores de sete anos e pessoas que apresentam acidentes graves.

As aranhas do gênero Loxosceles, também conhecidas por “aranhas marrons”, apresentam hábitos noturnos e ficam escondidas em locais que possuem pouca luz, como embaixo de entulhos, roupas e sapatos. Diferentemente das armadeiras, essas aranhas constroem teias.

As aranhas do gênero Loxosceles caracterizam-se pela construção de teias irregulares
As aranhas do gênero
Loxosceles caracterizam-se pela construção de teias irregulares

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A picada dessa aranha só causa sintomas após algumas horas do acidente, fazendo com que as pessoas demorem a procurar ajuda médica. São reconhecíveis duas diferentes formas de manifestações clínicas em decorrência da picada: a cutânea e a cutâneo-visceral. Na forma cutânea, observam-se sinais e sintomas exclusivamente no local das picadas, como dor, formigamento, inchaço e vermelhidão. Com o tempo, a coloração do local muda para arroxeado e aparecem áreas esbranquiçadas e áreas hemorrágicas. Após duas semanas, aproximadamente, inicia-se a formação de uma úlcera.

Na forma cutâneo-visceral, observam-se febre, calafrios, fraqueza, náuseas, vômitos, mialgia, anemia, icterícia, sangramentos, entre outros sintomas. Em casos mais graves, pode ocasionar insuficiência renal e óbito.

O tratamento para acidentes com aranhas do gênero Loxosceles baseia-se na soroterapia e uso de anti-inflamatório e analgésicos.

As aranhas do gênero Latrodectus são conhecidas pelo nome popular de “viúvas-negras”
As aranhas do gênero
Latrodectus são conhecidas pelo nome popular de “viúvas-negras”

As espécies do gênero Latrodectus são conhecidas popularmente como “viúvas-negras” e causam poucos acidentes no Brasil, sendo sempre a fêmea a responsável pela picada. Caracterizam-se por ter um corpo relativamente pequeno e construir teias. Seu veneno é altamente tóxico e ataca o sistema nervoso, ocasionando dores musculares intensas, bem como náusea, dor de cabeça e problemas cardiorrespiratórios. Em alguns casos, pode levar à morte. Em casos de acidentes graves, indica-se a soroterapia.

As aranhas do gênero Phoneutria são responsáveis por um grande número de acidentes no Brasil

As aranhas do gênero Phoneutria são responsáveis por um grande número de acidentes no Brasil

Por: Vanessa Sardinha dos Santos