Alunos Online


Aranhas

Por: Paula Louredo Moraes No mundo todo, são conhecidas 32 mil espécies de aranhas

No mundo todo, são conhecidas 32 mil espécies de aranhas

As aranhas são animais que vivem em diversos lugares, como em matas, pântanos, desertos e buracos no solo. Existem no mundo aproximadamente 32 mil espécies de aranhas que variam muito no tamanho do corpo. São animais que fazem parte da classe dos aracnídeos e são desprovidos de antenas e mandíbulas. O corpo se apresenta dividido em cefalotórax e abdome, sendo que neste há quatro pares de pernas. Possuem, na região anterior do cefalotórax, de dois a oito olhos simples, ou, dependendo da espécie, nenhum.

Esses animais possuem quelíceras, na parte anterior do cefalotórax, que servem para capturar e injetar o veneno na presa. Após injetar o veneno, a aranha libera enzimas produzidas pelas glândulas salivares que irão digerir parte dos tecidos da presa. Por meio dos pedipalpos, o animal consegue manipular e sentir o sabor dos alimentos. Como são animais desprovidos de mandíbulas, só conseguem deglutir a presa quando esta está praticamente líquida. Dessa forma, dizemos que as aranhas possuem digestão extracelular.

No abdome das aranhas são encontradas as fiandeiras, glândulas produtoras de seda usada para inúmeros fins, como para a produção da teia, na formação de casulo (onde o animal irá depositar os seus ovos), no armazenamento do alimento e na captura de presas. Em contato com o ar, o líquido produzido pelas glândulas se solidifica, ocorrendo a formação do fio com que será feita a teia. O tamanho, o formato da teia e a espessura do fio dependerão da espécie de aranha, e, a cada dia, as aranhas constroem uma nova teia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O sistema respiratório das aranhas é extremamente simples e se dá por meio das traqueias e das filotraqueias, também chamadas de pulmões foliáceos. A excreção nesses animais é feita por meio de túbulos de Malpighi e glândulas coxais que se localizam na base das pernas. Possuem o corpo coberto de pelos de alta sensibilidade, que captam qualquer vibração, independente do local onde estejam.

As aranhas são dioicas e possuem fecundação interna. O macho, após encontrar a fêmea, deposita esperma em uma pequena bolsa de seda e aguarda que a fêmea fique na posição adequada, para que ele, com a ajuda dos pedipalpos, deposite seu esperma na abertura genital dela. Em algumas espécies de aranhas, a fêmea come o macho após a cópula. Algumas aranhas depositam seus ovos em casulos feitos com teia e os abandonam, enquanto que outras permanecem com os filhotes até o nascimento ou até que eles consigam cuidar de si mesmos.

Como em todos os artrópodes, as aranhas possuem exoesqueleto composto por quitina. Em função disso, o crescimento desses animais ocorre por meio de mudas, que podem ocorrer na fase jovem ou durante toda a vida do animal, dependendo da espécie de aranha.

Existem algumas aranhas cujas picadas podem causar alguns problemas para o ser humano. São elas: a aranha armadeira, a aranha-marrom, a aranha-de-jardim, ou tarântula, e a viúva-negra. A caranguejeira, apesar de grande, é causadora de poucos acidentes, na maioria das vezes provocando apenas irritações na pele em virtude da ação irritante dos pelos que se desprendem do seu abdome.