Alunos Online


Câncer colorretal

O câncer colorretal atinge o cólon e o reto do paciente, ocasionando sintomas como sangue nas fezes, diarreia ou prisão de ventre e anemia sem causa aparente.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos O câncer colorretal, como o nome indica, atinge o cólon e o reto

O câncer colorretal, como o nome indica, atinge o cólon e o reto

Câncer é o nome utilizado para denominar uma série de problemas decorrentes do crescimento desordenado de células, que acabam invadindo órgãos e tecidos. Existem mais de 100 tipos diferentes de câncer, os quais se distinguem pelo órgão afetado e sua evolução.

O que é o câncer colorretal?

Esse tipo de câncer afeta o cólon e o reto, porções finais do sistema digestório. Geralmente surge a partir de pólipos, pequenas elevações que crescem no intestino grosso e reto. Como fatores de risco para a doença, podemos citar idade superior a 50 anos, casos desse tipo de câncer na família, obesidade, sedentarismo e doenças inflamatórias do intestino.

Sintomas

Por atingir o intestino grosso, os sinais e sintomas desse tipo de câncer podem ser observados nas fezes do paciente. Os principais sintomas são:

  • Perda de sangue nas fezes;

  • Anemia sem causa aparente;

  • Fezes de coloração escura;

  • Diarreia ou prisão de ventre;

  • Sensação de que o intestino não se esvaziou completamente;

  • Cólicas;

  • Dor na região anal;

  • Sangramento anal.

É possível prevenir-se do câncer colorretal?

O câncer colorretal pode ser evitado adquirindo-se hábitos de vida saudáveis, principalmente no que diz respeito à alimentação. Os alimentos ricos em fibras destacam-se entre os produtos que mais ajudam no funcionamento do intestino. Como alimentos que apresentam fibras, podemos destacar frutas, verduras, legumes e cereais integrais.

O consumo excessivo de carnes processadas (salsichas, salames e mortadelas), carne vermelha, gorduras e bebidas alcoólicas contribui para o surgimento de câncer e, por isso, deve ser evitados. A obesidade e o sedentarismo também são fatores de risco para o câncer colorretal, sendo recomendada, portanto, a realização de atividades físicas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Diagnóstico

O câncer colorretal pode ser detectado por meio de dois exames principais:

  • Sangue oculto nas fezes: pesquisa que analisa se há sangue nas fezes. Para realizar esse exame, é necessária uma preparação anterior, que consiste em não utilizar anti-inflamatórios por uma semana e não ingerir carne ou frutas cítricas pelo menos por três dias antes do exame;

  • Colonoscopia: análise do cólon e reto por meio de um aparelho de fibra ótica que é introduzido pelo ânus. Esse aparelho possui uma câmera.

Vale frisar que esses exames são feitos apenas em casos em que há suspeita de câncer colorretal e em grupos de risco. Pessoas com 50 anos, portanto, devem estar atentas à realização desses exames.

Para confirmar o diagnóstico, no entanto, é necessário realizar uma biópsia, que consiste na análise de um pedaço de tecido da área afetada. Para retirar esse fragmento, utiliza-se um aparelho chamado de endoscópio.

O câncer colorretal tem cura? Qual é o tratamento?

Se o câncer colorretal é diagnosticado precocemente e o tratamento é feito de maneira adequada, existe uma grande chance de cura. O tratamento é dificultado em casos em que o diagnóstico é feito após já ter ocorrido a metástase. Nessa situação, a chance de cura é reduzida consideravelmente.

Para o tratamento inicial, a parte do intestino que foi acometida pela doença e os nódulos linfáticos que estão localizados na região são retirados. Após esse procedimento cirúrgico, submete-se o paciente à radioterapia, que diminui as chances de retorno do tumor. Vale frisar que a radioterapia pode ou não ser associada à quimioterapia.

Artigos Relacionados