Alunos Online


Câncer de pele

O câncer de pele é grave, mas apresenta tratamento e alto índice de cura. A exposição inadequada ao sol está entre os fatores que causam o desenvolvimento dessa doença.

O câncer de pele é um problema de saúde em que se observa o crescimento anormal e descontrolado de células da pele. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), cerca de 180 mil novos casos da doença são registrados a cada ano.

Leia também: Diferença entre tumor e câncer


Tipos de câncer de pele

O câncer de pele pode ser classificado em:

  • Carcinoma basocelular: é o tipo mais comum e apresenta baixa letalidade e alto índice de cura quando detectado precocemente. Ele afeta células profundas da epiderme e frequentemente aparece em locais que são expostos ao sol, como o rosto e pescoço.

  • Carcinoma espinocelular: é o segundo tipo mais comum de câncer de pele e, diferentemente do basocelular, afeta as células escamosas, que se localizam nas camadas mais superiores da pele. Assim como no carcinoma basocelular, esse câncer desenvolve-se principalmente em áreas expostas ao sol.

  • Melanoma: é o tipo mais agressivo de câncer de pele, mas com um diagnóstico precoce, as chances de cura ultrapassam 90%. Como o nome indica, o melanoma origina-se nos melanócitos, células responsáveis pela produção da melanina (proteína que dá cor à pele). Esse câncer apresenta-se como uma pinta na pele que muda de cor, tamanho, formato e pode sangrar. Inicialmente afeta as partes superficiais da pele, entretanto, com o avanço da doença, pode tornar-se mais profundo e ocorrer metástase (quando o câncer espalha-se para outras partes do corpo). Apesar de apresentar forte influência genética, o melanoma está também associado à exposição ao sol.

Leia também: Fosfoetanolamina (pílula do câncer)


Sintomas

Geralmente o câncer de pele é muito semelhante a pequenas pintas e manchas na pele. Entretanto, estas, normalmente, apresentam algumas características que ajudam na diferenciação, tais como:

  • Lesões que sangram facilmente;

  • Lesões que mudam de cor, textura e possuem bordas irregulares;

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Feridas que não se cicatrizam e crescem.


Regra do ABCDE

Para ajudar a entender melhor os sinais de perigo, existe a regra do ABCDE, que fala sobre características que merecem atenção. Observe o esquema a seguir:

Observe atentamente as características das pintas que merecem atenção.
Observe atentamente as características das pintas que merecem atenção.


Prevenção do câncer de pele

O câncer de pele pode ser prevenido com atitudes simples no nosso dia a dia, tais como:

  • Evitar exposição prolongada ao sol no período compreendido entre 10h e 16h;

  • Quando se expor ao sol, utilizar proteção, como bonés, chapéus e óculos escuros;

  • Utilizar sempre filtro solar com fator de proteção de, no mínimo, 15. Sempre se lembrar de reaplicar o filtro solar.

Vale salientar que a visita ao médico assim que notar alterações anormais na pele ajuda a evitar complicações. O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento, sendo assim, o indivíduo deve estar atento aos sintomas do câncer, tais como manchas que coçam, escamam e sangram; manchas que mudam de cor, tamanho e formato; e feridas que não se cicatrizam.

O diagnóstico precoce do câncer de pele é fundamental para o sucesso do tratamento.
O diagnóstico precoce do câncer de pele é fundamental para o sucesso do tratamento.


Tratamento

O tratamento varia de paciente e também de acordo com o tipo de câncer identificado. O câncer de pele não melanoma é tratado, normalmente, com cirurgia e radioterapia. Para o câncer do tipo melanoma, os tratamentos recomendados são cirurgia e, em alguns casos, radioterapia e quimioterapia.

Leia também: 27 de novembro - Dia Nacional de Combate ao Câncer

O melanoma é um tipo grave de câncer de pele e apresenta alta letalidade.

O melanoma é um tipo grave de câncer de pele e apresenta alta letalidade.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos