Alunos Online


Cinco plantas tóxicas comuns em jardins

Muitas plantas tóxicas são cultivadas em jardins sem a devida atenção, colocando em risco a saúde de crianças e animais que podem ingeri-las acidentalmente.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos A comigo-ninguém-pode é uma planta tóxica bastante cultivada

A comigo-ninguém-pode é uma planta tóxica bastante cultivada

Muitas pessoas, que possuem em seu jardim uma grande quantidade de plantas, podem não saber quais danos à saúde esses vegetais podem causar. É comum encontrarmos, em locais de fácil acesso a crianças e animais, plantas que podem até mesmo causar a morte. A seguir, listamos cinco plantas que podem estar em seu jardim e que são tóxicas:


→ Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia picta)

A comigo-ninguém-pode é extremamente utilizada na ornamentação de residências (veja imagem no início do texto). Essa planta é responsável por um grande número de intoxicações, principalmente de crianças e animais que são atraídos por suas folhas vistosas.

A comigo-ninguém-pode apresenta cristais de oxalato de cálcio e algumas substâncias que provocam reações inflamatórias. Normalmente, ao ingeri-la, a pessoa sente irritação na mucosa e salivação abundante. Ela pode causar vômitos, dificuldade de deglutir, edema na língua e nos lábios, asfixia e até mesmo morte. Vale destacar que essa planta, caso entre em contato com pele e olhos, pode causar danos também a essas partes. Na pele, ela pode originar dermatites e bolhas. Dor, inchaço, lacrimejamento e conjuntivites são alguns dos sintomas do contato dessa planta com os olhos.


→ Trombeteira (Brugmansia suaveolens)

A trombeteira, se ingerida, pode causar alucinações e delírios
A trombeteira, se ingerida, pode causar alucinações e delírios

A trombeteira pode intoxicar por ingestão ou contato ocular acidental. Ela pode desencadear dilatação da pupila, ressecamento da boca, vermelhidão da pele, febre, retenção urinária e taquicardia. Além disso, essa planta pode provocar alucinações, pânico e delírios. Em casos graves de intoxicação, podem ocorrer distúrbios cardiovasculares e respiratórios e até mesmo a morte.


→ Copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica)

Muito usado na ornamentação, o copo-de-leite é uma planta com toxicidade muitas vezes desconhecida pelas pessoas
Muito usado na ornamentação, o copo-de-leite é uma planta com toxicidade muitas vezes desconhecida pelas pessoas

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As plantas dessa espécie apresentam oxalato de cálcio, assim como a comigo-ninguém-pode, por isso os sintomas de intoxicação são semelhantes. Ao ingerir partes dessa planta, há irritação da mucosa, edema de língua e lábios, dificuldade para deglutir, salivação abundante, vômitos e diarreia. O contato com os olhos pode desencadear irritação, inchaço, lacrimejamento e sensibilidade à luz.


→ Coroa-de-cristo (Euphorbia milii)

A coroa-de-cristo é muito utilizada como cerca viva
A coroa-de-cristo é muito utilizada como cerca viva

A coroa-de-cristo, também chamada de colchão-de-noiva e coroa-de-espinhos, é muito usada como cerca viva. A intoxicação por essa planta ocorre geralmente devido ao contato com o látex. A ingestão causa edema de lábios e língua, náusea, vômito e diarreia. Em contato com a pele, a planta pode desencadear edema, coceira e dor. Nos olhos, pode provocar conjuntivite, inchaço da pálpebra, lesão na córnea e, em casos mais graves, cegueira temporária.


→ Espirradeira (Nerium oleander)

A espirradeira é uma planta que provoca intoxicações por causa da presença de glicosídeos cardiotóxicos
A espirradeira é uma planta que provoca intoxicações por causa da presença de glicosídeos cardiotóxicos

A espirradeira contém glicosídeos cardiotóxicos que provocam intoxicações. Em seres humanos, a sua ingestão pode causar náusea, vômito, cólicas abdominais, diarreia, perda da coordenação dos movimentos, dificuldade respiratória, arritmias, paralisia, coma e morte.

Atenção: Em caso de intoxicação causada por essas plantas, é fundamental procurar auxílio médico. Não é recomendado forçar o vômito em caso de ingestão. Se houve contato ocular, aconselha-se lavar os olhos em água corrente.