Alunos Online


Depressão bipolar

Por: Mariana Araguaia A depressão bipolar tende a se iniciar mais abruptamente.

A depressão bipolar tende a se iniciar mais abruptamente.

O transtorno afetivo bipolar, ou transtorno bipolar, é uma doença que se caracteriza por apresentar um quadro no qual o paciente manifesta, em um momento, humor depressivo e, em outro, humor maníaco (euforia, humor expansivo, etc.). A duração e também a intensidade de tais eventos são variáveis, sendo elas que caracterizam o tipo de bipolaridade que a pessoa possui.

O paciente do tipo 1, por exemplo, é aquele cujos sintomas são mais severos, sendo outrora considerado “maníaco-depressivo”. Tal termo, na atualidade, está em desuso primeiramente porque nem todos os bipolares têm comportamento semelhante ao do tipo 1 e, em segundo lugar, porque tal expressão, ao longo do tempo, se tornou algo estigmatizante e pejorativo. 

Devido, principalmente, ao fato de que nem sempre os episódios maníacos são interpretados como tal, mas sim como momentos de alegria, ou de humor “normal”; não raras as vezes a pessoa portadora dessa doença é diagnosticada como unicamente depressiva. No entanto, a depressão bipolar apresenta algumas diferenças em relação à depressão “unipolar”; sendo, por tal motivo, muito importante o bom diálogo com o médico, caso haja suspeita.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os sintomas semelhantes, entre os dois tipos de depressão, incluem a apatia, baixa autoestima, desinteresse por atividades prazerosas; alterações na memória, fome e sono; sentimento de vazio e, em alguns casos, pensamentos autodestrutivos e pessimistas.

No que diz respeito às diferenças entre os quadros, a depressão bipolar tende a se iniciar de forma mais abrupta, ocorrer com mais frequência, manifestar maior lentidão psíquica e motora, e apresentar com mais assiduidade e intensidade sentimentos de culpa, abandono, incapacidade e impotência. Além disso, especialistas observam que a hipersonia (sonolência excessiva) é mais comum nestes casos, e creem que o risco de suicídio é maior entre tais pacientes.

É importante a diferenciação entre esses dois diagnósticos porque, geralmente, para a depressão clássica, é indicado o uso de antidepressivos; e tais remédios podem provocar a intensificação dos sintomas maníacos. Assim, para o bipolar, é necessário um tratamento especializado, sendo altamente recomendável o acompanhamento psicoterápico.