Alunos Online


Diabetes tipo 1

No Diabetes tipo 1, ocorre a destruição das células beta do pâncreas, o que desencadeia uma deficiência na produção de insulina.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos O diabetes diz respeito à deficiência na produção ou ação da insulina

O diabetes diz respeito à deficiência na produção ou ação da insulina

Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela elevação dos níveis de glicose no sangue, um quadro denominado de hiperglicemia. Ela pode causar problemas na secreção do hormônio insulina ou ainda na ação desse hormônio. Podemos classificar o diabetes em dois tipos: Tipo 1 e Tipo 2.

→ O que é a insulina e qual é a sua função?

Antes de conhecer o que é o diabetes, devemos ter em mente o que é a insulina. A insulina é um hormônio produzido pelas células beta do pâncreas que tem como função principal garantir a entrada da glicose nas células, permitindo a realização de várias atividades.

Quando ocorre a falta de insulina no organismo, ou esta não consegue desempenhar adequadamente suas atividades, há um aumento dos níveis de glicose no sangue, uma vez que essa substância não consegue entrar na célula. Temos aí um caso de hiperglicemia, um dos sinais do diabetes.

→ O que é o diabetes tipo 1?

O diabetes tipo 1 é desencadeado pela destruição das células beta do pâncreas. A destruição dessas células é feita por anticorpos do próprio organismo em um processo imunológico que leva a uma deficiência na produção de insulina. Esse processo pode ser causado por fatores genéticos e também ambientais.

A destruição das células beta pode ser total ou parcial. As consequências dessa destruição, no entanto, só devem aparecer clinicamente quando pelo menos 80% dessas células tiverem sido afetadas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

→ Quais são os sinais e sintomas do diabetes tipo 1?

O diabetes tipo 1 apresenta sinais e sintomas característicos, tais como:

  • Poliúria: Produção excessiva de urina;
  • Polidipsia: Excessiva sensação de sede;
  • Polifagia: Fome excessiva;
  • Astenia: Diminuição da força física (fraqueza);
  • Perda de peso.

Caso o tratamento não seja feito de maneira correta, esses sintomas tornam-se problemas mais graves. Sem tratamento, a pessoa pode desencadear dificuldades respiratórias, desidratação severa, sonolência e, em alguns casos, até mesmo o coma. Para evitar o agravamento dessa doença, deve-se sempre controlar as taxas de açúcar no sangue, seguindo as recomendações de um médico.

→ Como saber se tenho diabetes?

Para saber se uma pessoa é ou não diabética, é necessária a realização de exames. São considerados positivos de acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia:

  • Glicemia de jejum > 126 mg/dl.
  • Glicemia casual > 200 mg/dl em paciente com sintomas típicos do diabetes.
  • Glicemia > 200 mg/dl duas horas após sobrecarga oral de 75 gramas de glicose.

Vale destacar que esses exames devem ser feitos de maneira rotineira e, caso seja diagnosticado que o paciente é diabético, devem ser obedecidas rigorosamente as orientações médicas a respeito da repetição desses exames. Somente um profissional pode indicar o melhor tratamento e acompanhamento para cada paciente.