Alunos Online


Diferença entre periderme, casca e ritidoma

Periderme, casca e ritidoma referem-se a tecidos de revestimento vegetal, entretanto, esses termos não são sinônimos. Por essa razão, é preciso saber a diferença entre eles.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos Muitas pessoas confundem os termos periderme, casca e ritidoma

Muitas pessoas confundem os termos periderme, casca e ritidoma

Alguns termos da Botânica podem gerar confusão. É comum confundir, por exemplo, periderme, casca e ritidoma. A seguir, diferenciamos essas três expressões que se referem a tecidos de revestimento do vegetal.

Periderme

A periderme é um conjunto de tecidos de revestimento que substitui a epiderme em plantas com crescimento secundário. Ela é composta pelo súber, felogênio e pela feloderme. O felogênio é um tecido meristemático de origem secundária responsável por produzir o súber e a feloderme, sendo o súber produzido voltado para a superfície do órgão e a feloderme para o lado interno.

O súber destaca-se por apresentar células mortas na maturidade com grande quantidade de suberina, que é uma substância graxa. Isso torna o súber altamente impermeável. As células da feloderme, por sua vez, são parenquimáticas, muito semelhantes ao parênquima cortical.

Casca

Muitas pessoas utilizam o termo casca como sinônimo para periderme ou para referir-se ao súber. Entretanto, o termo casca apresenta outro significado e é usado para referir-se aos tecidos que se encontram situados externamente ao câmbio vascular. Assim sendo, a casca não pode ser usada como sinônimo de periderme, pois envolve todos os tecidos externos ao câmbio, portanto, pode incluir tecidos de origem secundária e primária. Vale salientar que esse não é um termo técnico.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Costuma-se classificar a casca em externa e interna. A casca externa corresponde à parte morta dessa parte da planta, compreendendo os tecidos externos ao felogênio mais interno. Dizemos felogênio mais interno, pois as células parenquimáticas podem tornar-se meristemáticas e formar um novo felogênio que, durante o desenvolvimento, dará origem a novas peridermes. A casca interna, por sua vez, é a porção viva da casca. Consideramos como parte dessa casca os tecidos que estão localizados mais internamente ao felogênio até o câmbio vascular.

Ritidoma

Existe ainda o termo ritidoma, que é usado para identificar o conjunto de tecidos mortos que se localizam externamente à última periderme que foi formada. Assim sendo, o ritidoma seria um sinônimo de casca externa.