Alunos Online


Febre maculosa

Febre maculosa é uma doença causada por uma bactéria transmitida pela picada de carrapato. É uma doença grave que pode levar à morte caso não ocorra tratamento adequado.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos O carrapato Amblyomma cajennense é um importante vetor e reservatório da bactéria do gênero Rickettsia

O carrapato Amblyomma cajennense é um importante vetor e reservatório da bactéria do gênero Rickettsia

A febre maculosa é uma doença bacteriana séria, transmitida por carrapatos e que pode, até mesmo, causar a morte. Como o nome sugere, é uma doença que se caracteriza por causar febre.


Agente etiológico da febre maculosa

O agente etiológico da febre maculosa, ou seja, o agente causador da doença são bactérias do gênero Rickettsia. No Brasil, a doença é causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, que é uma espiroqueta (bactéria de formato helicoidal) gram-negativa (bactérias com parede celular complexa que se coram de vermelho quando submetidas à coloração de Gram).


Vetor da febre maculosa

No Brasil, os principais vetores (veículos de transmissão do agente causador) e reservatórios da bactéria causadora da febre maculosa são os carrapatos do gênero Amblyomma, principalmente o carrapato conhecido como carrapato-estrela (Amblyomma cajennense). Animais como a capivara e o cavalo são importantes no ciclo de transmissão da doença, pois são grandes reservatórios de carrapatos.

Veja também: Vetor e agente etiológico


Transmissão da febre maculosa

A febre maculosa é transmitida pela picada do carrapato infectado com a bactéria. Normalmente, a transmissão acontece quando o carrapato fica na pele da pessoa por um período de 4 a 5 horas. Vale destacar que alguns autores mencionam um período de 6 a 10 horas. Essa doença não é transmitida de uma pessoa para outra.

As capivaras podem apresentar carrapatos, responsáveis pela transmissão de febre maculosa
As capivaras podem apresentar carrapatos, responsáveis pela transmissão de febre maculosa


Sinais e sintomas da febre maculosa

O período de incubação, ou seja, o período compreendido entre o contato com o agente etiológico e o início do surgimento de sintomas é de 2 a 14 dias. Geralmente, os sintomas mais comuns são:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Febre alta (em torno de 39,5°C)

  • Dores de cabeça

  • Dores musculares

  • Mal-estar

  • Náuseas e vômitos

  • Erupções ou manchas vermelhas na pele.

Em casos mais graves, podem surgir ainda inchaço nas pernas, aumento do fígado e do baço (hepatoesplenomegalia), insuficiência renal, tosse, edema pulmonar, meningite, sangramento mucocutâneo (que envolve mucosas e a pele) e convulsões. Caso não seja tratada, a febre maculosa pode evoluir para o coma profundo. Quando a doença não é tratada adequadamente, ocorre a morte de até 80% dos casos.

Veja também: Infecções bacterianas


Diagnóstico e tratamento da febre maculosa

Os sintomas da febre maculosa são pouco específicos, logo apenas sua análise não é suficiente para diagnosticar o problema. Sendo assim, exames complementares devem ser realizados, tais como hemograma, reação de imunofluorescência indireta, pesquisa direta da bactéria por meio de histopatologia/imuno-histoquímica e técnicas de biologia molecular.

O tratamento da febre maculosa deve ser rápido para diminuir o risco de letalidade. Por ser uma doença bacteriana, o tratamento baseia-se no uso de antimicrobiano, o qual será escolhido adequadamente pelo médico. De acordo com o Guia de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, se houver suspeita de febre maculosa, o tratamento com antibióticos deve começar antes mesmo da confirmação laboratorial do caso.

Atenção: Para prevenir a febre maculosa, evite locais infestados por carrapatos e, sempre que adentrar em locais em que poderá haver contato com esses animais, utilize vestimentas adequadas. É importante também examinar o corpo a fim de identificar a presença de carrapatos. Se encontrá-los, retire-os, de preferência, com uma pinça.