Alunos Online


Fluxo gênico

O fluxo gênico pode ser definido como a movimentação de alelos entre populações. Essa movimentação garante que as populações apresentem semelhança genética.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos Plantas, por serem sésseis, apresentam um menor fluxo gênico

Plantas, por serem sésseis, apresentam um menor fluxo gênico

O fluxo gênico nada mais é do que o movimento de genes de uma população para outra. Esse fluxo, também chamado de migração, é garantindo pela inserção de novos genes em uma população graças à chegada de novos indivíduos. O fluxo gênico garante, portanto, que populações fiquem menos diferenciadas geneticamente.

Como ocorre o fluxo gênico?

O fluxo gênico ocorre quando indivíduos de uma população migram para outra. Um grupo de pessoas que mora em um lugar e muda-se para outra região, por exemplo, pode ser responsável pela inserção de um novo gene nessa população.

As espécies com indivíduos muito sedentários ou até mesmo fixos, como plantas, possuem baixa taxa de fluxo gênico. Isso acontece porque os organismos não interagem com populações muito distantes. No caso de plantas, o grão de pólen geralmente não consegue ir a grandes distâncias.

Outros organismos, no entanto, são capazes de ter uma alta taxa de fluxo gênico. Esse é o caso, por exemplo, das moscas, que voam por várias regiões e conseguem distribuir seus genes por outras populações.

Qual é a importância do fluxo gênico?

O fluxo gênico é um importante fator relacionado com a variabilidade genética. Se um indivíduo de uma população migra para outra e insere seu gene na população, caso não seja um gene já existente, proporciona o aumento da variação genética.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Esse fluxo gênico entre as populações é importante porque garante que indivíduos compartilhem características e sejam geneticamente similares. Essa semelhança entre indivíduos evita a especiação, ou seja, o surgimento de uma nova espécie. Quando populações não possuem fluxo gênico, as diferenças acentuam-se ao longo do tempo e impedem a reprodução, o que causa o surgimento de novas espécies.

Fluxo gênico e seleção natural

O fluxo gênico pode propiciar a introdução de alelos vantajosos em uma população. Se esses alelos conferirem realmente uma vantagem para os portadores, a seleção natural pode garantir o aumento da frequência desse gene. Outras vezes, no entanto, o fluxo gênico pode ser tão intenso que a população local passa a apresentar uma grande quantidade de genes externos, que, por serem trazidos de populações de outras áreas, não conferem adaptação aos organismos locais.

Vale destacar que, na ausência de fluxo gênico, a seleção natural tende a aumentar as diferenças entre as populações. Isso que dizer que o fluxo gênico possibilita uma homogeneização entre as populações e age contra o mecanismo de seleção natural, retardando a divergência genética.