Alunos Online


Genética nas provas do Enem

A Genética nas provas do Enem é abordada de diferentes formas. Em virtude do caráter atual do exame, é sempre importante estar atualizado sobre as evoluções na área.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos Genética é um tema bastante recorrente em provas do Enem

Genética é um tema bastante recorrente em provas do Enem

A Genética é um dos temas recorrentes nas provas do Enem. Apesar de não ser tão cobrada quanto a Ecologia, ela está constantemente sendo abordada em provas, principalmente no que diz respeito às novas tecnologias.

Quais são os principais temas de Genética abordados no Enem?

O Enem costuma cobrar questões bastante variadas quando o assunto é Genética, desde as características dos ácidos nucleicos, heredogramas e alterações cromossômicas até as práticas recentes de Engenharia Genética. Os temas, apesar de variados, exigem, de maneira geral, a interpretação da problemática envolvida.

Em virtude do caráter da prova do Enem, que sempre aborda temas atuais e relevantes para a sociedade, a Genética deve ser sempre estudada. Os avanços tecnológicos nessa área são muito importantes para a Economia e também para a Saúde, uma vez que diversos tratamentos foram criados a partir de técnicas de manipulação genética.

Uma questão que abordou esse ponto da Genética pode ser vista a seguir:

(Enem 2015) A reprodução vegetativa de plantas por meio de estacas é um processo natural. O homem, observando esse processo, desenvolveu uma técnica para propagar plantas em escala comercial. A base genética dessa técnica é semelhante àquela presente no(a)

a) transgenia.

b) clonagem.

c) hibridização.

d) controle biológico.

e) melhoramento genético.

Resolução: LETRA B. Para responder a essa questão, os alunos devem estar atentos à técnica descrita, a qual se baseia na propagação de plantas por meio de fragmentos de um indivíduo. Percebe-se, portanto, que não houve nenhuma modificação genética, sendo feito apenas outro organismo a partir de um indivíduo original. Nesse caso, há um caso de clonagem, pois o indivíduo formado é igual ao indivíduo que o originou.

Apesar da prova do Enem ser repleta de questões contextualizadas, que exigem que o aluno tenha um olhar crítico sobre o conteúdo, às vezes, alguns conceitos são cobrados. Esse é o caso de uma das questões de 2015, que cobrou o tema alterações cromossômicas e o entendimento sobre alterações numéricas e estruturais, bem como seus tipos. Veja a seguir:

A cariotipagem é um método que analisa células de um indivíduo para determinar seu padrão cromossômico. Essa técnica consiste na montagem fotográfica, em sequência, dos pares de cromossomos e permite identificar um indivíduo normal (46, XX ou 46, XY) ou com alguma alteração cromossômica. A investigação do cariótipo de uma criança do sexo masculino com alterações morfológicas e comprometimento cognitivo verificou que ela apresentava fórmula cariotípica 47, XY, +18. A alteração cromossômica da criança pode ser classificada como

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

a) estrutural, do tipo deleção.

b) numérica, do tipo euploidia.

c) numérica, do tipo poliploidia.

d) estrutural, do tipo duplicação.

e) numérica, do tipo aneuploidia.

Resolução: LETRA E. Para responder a essa questão, é necessário compreender que o menino analisado apresenta um cromossomo 18 a mais, ou seja, possui uma trissomia do 18. Isso significa que ele apresentou uma alteração numérica. Além disso, como apenas um tipo de cromossomo foi afetado, trata-se de um exemplo de aneuploidia.

Em 2014, uma questão de Genética sobre heredograma foi abordada no Enem. Entretanto, a questão não pedia apenas que fosse feita a análise dos genótipos e fenótipos dos indivíduos, ela pedia que o padrão de herança fosse identificado pela análise do heredograma. Veja a questão abaixo:

No heredograma, os símbolos preenchidos representam pessoas portadoras de um tipo raro de doença genética. Os homens são representados pelos quadrados, e as mulheres, pelos círculos.

Qual é o padrão de herança observado para essa doença?

a) Dominante autossômico, pois a doença aparece em ambos os sexos.

b) Recessivo ligado ao sexo, pois não ocorre a transmissão do pai para os filhos.

c) Recessivo ligado ao Y, pois a doença é transmitida dos pais heterozigotos para os filhos.

d) Dominante ligado ao sexo, pois todas as filhas de homens afetados também apresentam a doença.

e) Codominante autossômico, pois a doença é herdada pelos filhos de ambos os sexos, tanto do pai quanto da mãe.

Resolução: LETRA D. Para responder a essa questão, é necessário analisar os indivíduos afetados pela doença genética. Analisando o heredograma, é possível perceber que a maioria dos afetados são mulheres e que, sempre que um homem é afetado, o problema é passado para as suas filhas. No caso, como o pai é responsável por transmitir um cromossomo X à filha, verifica-se que a doença está ligada ao cromossomo X. Além disso, percebe-se que se trata de uma doença dominante, pois apenas esse cromossomo já é suficiente para expressar a doença.

Percebe-se, portanto, que a prova do Enem é sempre complexa e pode abordar temas variados. Sendo assim, lembre-se de estudar os diversos pontos da Genética, aprendendo conceitos e tentando sempre relacionar o que foi aprendido com o cotidiano. É importante também ficar atento às novidades nessa área do conhecimento.

Boa prova!


Aproveite para conferir as nossas videoaulas sobre o assunto:

Carregando...

Carregando...

Carregando...