Alunos Online


Hemodiálise

A hemodiálise é um processo que se caracteriza pela filtragem artificial do sangue. Por essa razão, ela assume a função dos rins.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos A hemodiálise consiste na filtragem artificial do sangue

A hemodiálise consiste na filtragem artificial do sangue

O rim é um órgão do sistema urinário relacionado com a filtragem do sangue e a eliminação das substâncias encontradas em excesso no corpo ou que nos fazem algum mal, como a ureia. Algumas doenças, no entanto, podem desencadear insuficiência renal, que se caracteriza pelo não funcionamento dos rins.

Quando os rins param de funcionar, faz-se necessário o transplante renal. Entretanto, nem sempre é possível realizar essa cirurgia de maneira rápida, por isso, outras medidas devem ser tomadas. Uma dessas medidas é a realização da hemodiálise, que consiste na filtragem do sangue de maneira artificial.

Como é feita a hemodiálise?

A hemodiálise é uma técnica que se baseia na utilização de uma membrana artificial (dialisador) para retirar do sangue as toxinas e o excesso de água. Para que esse processo ocorra, o sangue é retirado do corpo do paciente, passa pelo dialisador e retorna ao organismo.

Esse procedimento geralmente é feito em hospitais ou em unidades de diálise em um horário previamente determinado. Normalmente uma pessoa deve realizar hemodiálise de três a quatro vezes por semana. Cada sessão dura em média quatro horas. A duração do procedimento e o número de sessões podem, no entanto, sofrer alterações dependendo do estado de cada paciente.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Vale destacar que a realização da hemodiálise não impede que o paciente viaje em férias, por exemplo. Para isso, basta informar a unidade de hemodiálise sobre a viagem e pedir para que ela entre em contato com outra unidade localizada no local de destino.

Reações adversas da Hemodiálise

A hemodiálise, assim como a maioria dos procedimentos médicos, pode ocasionar algumas reações desagradáveis, por isso, as sessões sempre são feitas na presença de um médico. Entre esses transtornos, podemos citar enjoos, vômitos, dores de cabeça, quedas de pressão e câimbras. Em alguns pacientes, apesar de bastante raro, podem ocorrer problemas mais graves, tais como arritmias, embolia gasosa e acidentes cerebrovasculares.

É importante salientar que a grande maioria dos pacientes precisa da hemodiálise por toda a vida, o que torna indispensável uma mudanças de hábitos. Pacientes em tratamento devem seguir à risca as recomendações médicas, que indicarão a quantidade de líquidos e alimentos que podem ser ingeridos por cada pessoa.

Como ocorre uma grande mudança na rotina de cada paciente, muitos não conseguem continuar no emprego. Entretanto, o governo oferece auxílio financeiro aos portadores de insuficiência renal.