Alunos Online


Micoses

Micoses são doenças causadas por fungos. Elas, geralmente, afetam pele, unhas e cabelos. Entre as micoses mais conhecidas, podemos citar o pé de atleta e a candidíase.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos Pé de atleta é uma das micoses mais conhecidas pela população.

Pé de atleta é uma das micoses mais conhecidas pela população.

Micose é um termo utilizado para referir-se a doenças causadas por fungos. Elas, comumente, afetam pele, unhas e cabelos dos seres humanos, causando grande desconforto. Essas doenças estão diretamente relacionadas com o calor e a umidade. Em virtude desses fatores, são mais comuns em pessoas que vivem em regiões tropicais.

Leia também: Importância dos fungos

Tipos de micoses

As micoses podem ser dividas em cinco grupos diferentes:

  • Superficiais: afetam apenas a camada mais superficial da pele, a qual é formada por células mortas, ricas em queratina (extrato córneo). Como exemplo desse tipo de micose, podemos citar a pitiríase versicolor, uma infecção, muitas vezes, assintomática, mas que pode causar manchas na pele e leve coceira.

  • Cutâneas: invadem todo o extrato córneo da pele, a parte queratinizada intrafolicular dos pelos ou a unha. Como exemplos de micoses cutâneas, podemos citar as dermatofitoses, grupo de doenças causadas por fungos chamados dermatófitos, que afetam pele, pelos e unhas. Um exemplo de dermatofitose é o pé de atleta.

A candidíase é causada por um fungo chamado de cândida, encontrado, normalmente, na região vaginal.
A candidíase é causada por um fungo chamado de cândida, encontrado, normalmente, na região vaginal.

  • Subcutâneas: acontecem quando algum traumatismo permite a entrada de fungos. Como exemplo dessas micoses, destaca-se a esporotricose, causada pelo fungo Sporothrix schenckii, que causa o surgimento de nódulo no local da inoculação e de outros nódulos ao longo do caminho de um vaso linfático.

  • Sistêmicas: iniciam-se, geralmente, com a inalação de esporos dos fungos, causando lesões, inicialmente, nos pulmões. Posteriormente, disseminam-se pelo sangue, espalhando-se pelo corpo e afetando vários órgãos. Como exemplo de micose sistêmica, temos a histoplasmose, doença causada pelo fungo Histoplasma capsulatum, que pode causar tosse, falta de ar e, até mesmo, complicações pulmonares, cardíacas e nas meninges.

  • Oportunistas: são causadas por fungos de baixa virulência, que causam efeitos graves em pessoas com sistema imune debilitado. Como exemplo, podemos citar a criptococose, na qual ocorre um comprometimento, principalmente, do trato respiratório e do sistema nervoso central. Pode, no entanto, acometer também outros sistemas e órgãos. Nesse grupo, também se destaca a candidíase, causada pelos fungos do gênero Candida, que fazem parte da microbiota normal do ser humano e, em algumas situações, podem tornar-se patogênicos. O principal fungo que causa candidíase é o Candida albicans. Vale destacar que as infecções pelo fungo do gênero Candida afetam várias partes do corpo, como boca, língua, pele, couro cabeludo, genitálias e unhas.

Micoses comuns

  • Pitiríase vesicolor (pano branco): essa micose é conhecida, popularmente, como pano branco e caracteriza-se pelo surgimento de manchas, que podem ir da coloração branca à castanha. Geralmente, as lesões não causam problemas, e a pessoa sente apenas leve coceira. O uso de roupas leves e de tecidos não sintéticos ajuda na prevenção dessa doença, uma vez que o calor e a umidade facilitam a infecção pelo fungo. Alimentação deficiente, produção excessiva de suor e uso de anticoncepcionais estão entre os fatores que favorecem o desenvolvimento dessa micose.

  • Tinea corporis (micose na pele do tronco e extremidades): Tinha do corpo ou tinea corporis atinge as peles do tronco e das extremidades, afetando, principalmente, a pele exposta. Caracteriza-se pelo surgimento de lesões descamativas em formato de círculo ou anel, que apresentam borda elevada e causam coceira. Geralmente, o uso de antifúngicos apenas no local da lesão é suficiente para a cura.

Tinea corporis é uma micose que afeta o corpo e as extremidades, causando lesões que podem provocar coceira.
Tinea corporis
é uma micose que afeta o corpo e as extremidades, causando lesões que podem provocar coceira.

  • Tinea pedis (pé de atleta): essa micose é popularmente conhecida como pé de atleta ou frieira e pode ocasionar pele avermelhada, coceira e fissura dolorosa entre os dedos dos pés, além de surgimento de bolhas. Vale salientar que o pé de atleta pode vir acompanhado de onicomicose e pode afetar um ou os dois pés. Fatores como umidade, falta de higiene nos pés e uso de calçados fechados podem aumentar os riscos de desenvolver o problema.

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: Pés: calos e outras lesões

  • Onicomicoses (micose nas unhas): essas micoses podem causar amarelamento ou aparência esbranquiçada da unha, superfície irregular e, até mesmo, espessamento (unhas ficam duras e grossas) e descolamento da lâmina da unha. Vale salientar que nem todo descolamento da unha indica uma micose, o uso de sapatos fechados e unhas compridas, por exemplo, podem ocasionar a queda da unha. O tratamento pode ser local, porém, quando acomete mais de 30% da unha ou várias unhas, pode ser necessário tratamento via oral. O tratamento das onicomicoses é lento e pode chegar a um ano.

As onicomicoses são micoses que afetam as unhas.
As onicomicoses são micoses que afetam as unhas.

  • Candidíase: é causada por fungos do gênero Candida e pode afetar pele, mucosas e unhas. Apresenta diferentes manifestações clínicas dependendo do local afetado. Na mucosa oral, por exemplo, pode causar formação de placas esbranquiçadas e, quando afeta a região genital feminina, pode levar à secreção vaginal esbranquiçada. Baixa imunidade e uso prolongado de antibióticos podem favorecer o desenvolvimento do problema. Como esse fungo é comumente encontrado no corpo sem causar danos à saúde, essa micose é considerada oportunista.

Transmissão de micoses

As micoses podem ser transmitidas de diferentes formas. De uma maneira geral, a transmissão das doenças fúngicas ocorre quando uma pessoa entra em contato direto com alguém que esteja com micose ou quando uma pessoa tem contato com objetos contaminados por fungos que causam essas doenças. No caso da candidíase, por exemplo, não é necessário haver contato, uma vez que o fungo já está, normalmente, presente no corpo. Fatores como baixa imunidade fazem com que o fungo torne-se patogênico.

Prevenção de micoses

Enxugar-se bem após o banho é uma forma de evitar micoses.
Enxugar-se bem após o banho é uma forma de evitar micoses.

Para prevenir-se das micoses, alguns cuidados simples devem ser tomados:

  • Evitar contato direto com lesões causadas por fungos em outras pessoas.

  • Evitar contato com animais que possuem micoses (áreas sem pelos nos animais podem indicar o problema).

  • Andar calçado em locais compartilhados, como saunas e áreas próximas a piscinas.

  • Não compartilhar lixas, alicates, roupas e calçados.

  • Manter hábitos adequados de higiene.

  • Secar-se bem após o banho, uma vez que os fungos desenvolvem-se, preferencialmente, em locais quentes e úmidos.

Sintomas das micoses

Os sintomas das micoses variam de acordo com a região afetada. Veja abaixo alguns sintomas que podem indicar micose:

  • Manchas brancas ou avermelhadas na pele;

  • Manchas com coceira;

  • Secreção vaginal esbranquiçada;

  • Descolamento da unha;

  • Mudanças na coloração e na forma da unha.

Tratamento de micoses

As micoses são tratadas de diferentes formas. Algumas vezes, o tratamento deve ser tópico e oral.
As micoses são tratadas de diferentes formas. Algumas vezes, o tratamento deve ser tópico e oral.

Para diagnosticar uma micose, o médico analisará a lesão e solicitará alguns exames laboratoriais para identificar o fungo que está causando o problema. O tratamento da micose será determinado por um médico, que indicará o medicamento e o tempo de uso. Por serem doenças causadas por fungos, as micoses são tratadas com uso de antifúngicos, os quais podem ser orais ou tópicos (aplicados diretamente no local afetado). Em alguns casos, apenas o tratamento tópico é suficiente para interromper o curso da doença.

É importante deixar claro que muitas receitas caseiras não causam melhora nos quadros de micose. Sendo assim, é importante procurar um médico para que ele possa indicar o melhor produto para tratar o problema.