Alunos Online


Monocotiledôneas

As monocotiledôneas são um grupo monofilético de plantas que apresenta como características a venação paralela, um cotilédone e raízes fasciculadas.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos As orquídeas são exemplos de plantas monocotiledôneas

As orquídeas são exemplos de plantas monocotiledôneas

As angiospermas são plantas que se destacam pela presença de flores e frutos. Essas estruturas, no entanto, são ausentes em gimnospermas, pteridófitas e briófitas. A grande maioria das espécies das angiospermas são monocotiledôneas ou eudicotiledôneas. Esses dois grupos diferenciam-se por características como grão de pólen, nervuras nas folhas e cotilédone. Entre as monocotiledôneas, podemos citar espécies como palmeiras, gramas, lírios, orquídeas e banana.

→ Monocotiledôneas

As monocotiledôneas são um grupo monofilético, ou seja, são um grupo de espécies em que todos os seus elementos são descendentes de um ancestral comum. A ideia de que as monocotiledôneas são monofiléticas é sustentada por algumas características, como:

  • Venação paralela (nervuras que percorrem a folha de maneira paralela);

  • Presença de bainha;

  • Flores trímeras (flores que apresentam sépalas, pétalas, estames e carpelos em número de três ou seus múltiplos);

  • Embrião com único cotilédone;

  • Caules com feixes vasculares espalhados pelo parênquima;

  • Raiz fasciculadas.

Vale salientar que a venação paralela não é encontrada em todas as monocotiledôneas. Em algumas espécies, há desde a venação peninérvea (nervuras que lembram a morfologia de uma pena) à palmada (nervuras que se dispõem como os dedos de uma mão). Essas características estão relacionadas, provavelmente, com reversões provocadas pelo habitat dessas espécies.

Podemos citar também como característica a produção das folhas nas monocotiledôneas. Em plantas desse grupo, sua formação ocorre quase completamente a partir da região basal do primórdio foliar. Já em plantas de outros grupos, as folhas surgem da região apical do primórdio. Em relação ao pólen, as monocotiledôneas destacam-se por possuir pólen monossulcado (com apenas um poro ou suco).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

→ Ordem das monocotiledôneas

De acordo com o APG III, criado pelo Angiosperm Phylogeny Group (grupo dedicado à classificação das angiospermas), as monocotiledôneas podem ser organizadas em onze ordens.

  1. Commelinales: Apresenta cinco famílias, das quais se destaca a Commelinaceae, a família da trapoeraba.

  2. Zingiberales: Ordem que possui oito famílias. Dessas, podemos destacar a família Zingiberaceae, a do gengibre.

  3. Poales: Essa ordem inclui dezessete famílias, das quais podemos citar a Bromeliaceae, a família das bromélias.

  4. Arecales: Nessa ordem, encontramos a família Arecaceae, que apresenta como representantes o coqueiro e a pupunha.

  5. Asparagales: Essa ordem possui de catorze a vinte e cinco famílias. Um exemplo é Orchidaceae, a família das orquídeas.

  6. Liliales: Essa ordem possui onze famílias. Dentre elas, merece destaque a Liliaceae, a família das tulipas.

  7. Pandanales: Ordem com cinco famílias. Uma que se destaca é a família Velloziaceae.

  8. Dioscoreales: Apresenta cerca de três famílias. Destaca-se entre elas a Dioscoreaceae, a família do inhame.

  9. Petrosaviales: Possui uma família, a Petrosaviaceae.

  10. Alismatales: Possui cerca de catorze famílias. Uma delas é Araceae, a família do copo-de-leite.

  11. Acorales: Possui apenas uma família, a Acoraceae.

Existe ainda a família Dasypogonaceae, que não está atribuída a nenhuma classe.