Alunos Online


Sementes

Sementes são estruturas que protegem o embrião e garantem a dispersão do vegetal. Essas estruturas são exclusivas do grupo das gimnospermas e das angiospermas.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos O feijão é uma semente de angiosperma.

O feijão é uma semente de angiosperma.

Sementes são estruturas desenvolvidas a partir do ovário. Apresentam um embrião e reserva de nutrientes envolvidos por um revestimento protetor. Essas estruturas surgiram no grupo das gimnospermas e estão presentes também nas angiospermas.

Sementes de gimnospermas e de angiospermas

Sementes são estruturas presentes nas gimnospermas e nas angiospermas. Nas gimnospermas, observamos a presença de “sementes nuas”, ou seja, sementes não envoltas pelo fruto. Como exemplo de gimnospermas, podemos citar araucária e pinheiro.

As angiospermas, por sua vez, destacam-se por ser o maior grupo de plantas em nosso planeta e por terem suas sementes envolvidas por frutos. Os frutos, assim como as flores, são uma novidade evolutiva que surgiram nesse grupo de plantas e favoreceram seu domínio no planeta. Estima-se que, atualmente, cerca de 90% de todas as espécies vegetais pertençam ao grupo das angiospermas.

Vale destacar que plantas do grupo das briófitas e das pteridófitas não possuem sementes.

Formação das sementes

O óvulo é uma estrutura formada por um nucelo (parte interna do óvulo), envolvido por um ou dois tegumentos (camada protetora), e por uma micrópila (abertura no tegumento por onde, geralmente, o tubo polínico penetra). No nucelo, observamos a presença do megagametófito, local onde é produzido o gameta feminino (oosfera). O megagametófito é formado por tecido nutritivo e arquegônios.

A semente é formada após a fecundação da oosfera pelo núcleo espermático (gameta masculino). Essa fecundação acontece graças ao grão de pólen, que germina e forma o tubo polínico, o qual é capaz de penetrar a micrópila e descarregar o núcleo espermático. Forma-se, então, o zigoto, que se divide e forma o embrião. Durante esse processo, observa-se ainda o desenvolvimento dos tegumentos em sementes.

Estrutura das sementes

Observe acima as principais partes de uma semente de angiosperma. Epicótilo, hipocótilo e radícula são partes do embrião. O cotilédone é rico em nutrientes.
Observe acima as principais partes de uma semente de angiosperma. Epicótilo, hipocótilo e radícula são partes do embrião. O cotilédone é rico em nutrientes.

A semente apresenta uma estrutura básica formada por:

  • Revestimento: formada a partir dos tegumentos do óvulo.

  • Reserva nutritiva: responsável por fornecer nutrientes necessários para o desenvolvimento inicial da planta quando se inicia a germinação.

  • Embrião: após a fecundação da oosfera pelo núcleo espermático, observa-se a formação do zigoto, o qual se divide e dá origem ao embrião.

Importância das sementes para o vegetal

Sementes são estruturas importantes e apresentam uma série de vantagens ao vegetal. Essas estruturas são formadas por um envoltório, que protege o embrião, e por nutrientes. São esses nutrientes que garantem que a planta, em seu crescimento inicial, receba alimento. Além disso, a semente é capaz de esperar o momento ideal para germinar, ficando em dormência durante muito tempo depois de ser liberada.

Leia também: Dispersão de frutos e sementes

Dispersão das sementes

A dispersão das sementes ajuda a garantir que a planta seja distribuída pelo ambiente. Além de assegurar o aumento da área de difusão da planta, a dispersão das sementes evita que a planta-filha fique próxima da planta-mãe, o que impede que haja, por exemplo, competição por água ou luz entre elas.

A dispersão de frutos e sementes por animais é chamada de zoocoria.
A dispersão de frutos e sementes por animais é chamada de zoocoria.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A dispersão das sementes, que ocorre juntamente com a dispersão de frutos nas angiospermas, é decorrente da ação de diferentes agentes, como:

  • Vento: para serem transportados pelo vento, as sementes e os frutos com as sementes devem ser leves. Além disso, devem apresentar estruturas que garantam o transporte, como as alas. A dispersão de sementes e frutos pelo vento é chamada de anemocoria.

  • Água: sementes e frutos que são transportados pela água devem apresentar a capacidade de flutuar e de resistir à ação da água. A dispersão de sementes e frutos por meio da água é chamada de hidrocoria.

  • Animais: as sementes e os frutos apresentam características que atraem os animais. Além disso, podem apresentar estruturas que se fixam a seres vivos. Um fruto carnoso, por exemplo, poderá ser ingerido por um animal, que liberará sua semente em áreas distantes. Outro exemplo de transporte feito por animais pode ser observado no carrapicho, que apresenta estruturas que grudam no pelo ou na roupa dos humanos, garantindo o transporte. A dispersão de sementes e frutos por animais é chamada de zoocoria. Essa dispersão pode receber diferentes denominações de acordo com o tipo de animal dispersor: mirmecocoria (formigas), ictiocoria (peixes), saurocoria (répteis), ornitocoria (pássaros), mamaliocoria (mamíferos) e quiropterocoria (morcegos).

É importante destacar ainda que algumas plantas não necessitam de agentes dispersores. Essas plantas dispersam suas sementes por autodispersão, ou seja, abrem-se e lançam suas sementes.

Germinação de sementes

Para germinarem, as sementes precisam encontrar condições ideias, como disponibilidade de água.
Para germinarem, as sementes precisam encontrar condições ideias, como disponibilidade de água.

A germinação das sementes é um fenômeno que se caracteriza pelo rompimento do envoltório da semente e acontece em virtude de uma intensificação da atividade metabólica do embrião. Para que a germinação aconteça, são necessários três fatores principais: água, oxigênio e temperatura.

Na maioria dos casos, observa-se que a semente madura é muito seca, necessitando, assim, da absorção de água para que ocorram as atividades metabólicas. Com a absorção de água, as enzimas são ativadas, e as reservas podem ser utilizadas. À medida que a água é absorvida, a semente aumenta de tamanho, sendo possível observar um aumento de pressão em seu interior.

Vale salientar que as sementes que estão em dormência só germinarão quando as condições estiverem favoráveis para o crescimento da planta. Algumas sementes, para quebrarem a dormência, necessitam de passar pelo trato digestório de alguns animais; outras, de serem lavadas pela chuva. Há ainda espécies que necessitam de fogo para terem suas dormências quebradas.

Após a germinação, observamos o início do desenvolvimento da planta. A primeira estrutura a emergir é, normalmente, a raiz, estrutura que garante fixação da planta no solo e absorção de água e sais minerais.

Uso das sementes pelos seres humanos

Muitas sementes são utilizadas na alimentação, como é o caso da semente de chia.
Muitas sementes são utilizadas na alimentação, como é o caso da semente de chia.

Você já deve ter observado que as sementes são, frequentemente, utilizadas pelos seres humanos, seja para garantir a reprodução de alguma espécie, seja para a alimentação. Entre as sementes que podem ser utilizadas como alimento, podemos destacar: feijão, ervilha, amendoim, linhaça, chia, sementes de girassol e sementes de abóbora.