Alunos Online


Viajar no tempo é possível?

As viagens no tempo seriam possíveis se objetos pudessem ser acelerados a velocidades próximas à da luz ou utilizassem dobras espaciais.

A possibilidade de realizar viagens no tempo e poder viver épocas passadas ou conhecer o futuro desperta a imaginação de muitos de nós. Várias obras cinematográficas trouxeram a viagem no tempo como tema central. Filmes como De Volta para o Futuro (1985), A Máquina do Tempo (2002) e Camisa de força (2005) tratam das consequências de viagens feitas através do tempo.

Relatividade do tempo

As teorias propostas por Albert Einstein abrem espaço para a possibilidade de viagens no tempo, mas existe uma diferença muito grande entre algo ser teoricamente possível e ser executável. Os estudos da relatividade propostos por Einstein trouxeram a ideia da dilatação temporal e mostraram que o tempo é um conceito relativo. Um intervalo de tempo de um minuto na Terra não é igual em todos os cantos do universo.

A teoria da dilatação temporal mostra que, quando um objeto viaja com velocidade próxima à da luz, a marcação do tempo é alterada em comparação a objetos em repouso. Corpos com velocidades muito altas sempre marcam intervalos de tempo menores que os referenciais em repouso.

Suponha que seja possível lançar um astronauta para o espaço com uma velocidade próxima à da luz. Caso o astronauta permaneça um ano viajando com a mesma velocidade, ao retornar para a Terra, um referencial parado, o intervalo de tempo medido seria de sete anos. Assim, poderíamos afirmar que esse astronauta é um viajante do tempo.

Formas de viajar pelo tempo

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Caso as viagens no tempo fossem executáveis, elas poderiam ocorrer de duas maneiras. Primeiramente, um objeto deveria ser acelerado até que atingisse velocidades próximas à da luz e sofresse os efeitos da dilatação temporal.

Outra forma de viajar pelo tempo seria por meio das dobras criadas no espaço-tempo pela presença de um corpo muito massivo. Para a Física, além da altura, largura e profundidade, também estamos presos à dimensão do tempo. O universo seria composto por um entrelaçamento do espaço e do tempo, então, a gravidade gerada por um corpo muito massivo, como um buraco negro, poderia gerar uma curvatura no espaço e proporcionar uma viagem temporal por meio dos chamados buracos de minhoca.

As viagens temporais não ocorreriam como na ficção científica, em que a travessia feita por uma espécie de portal garante a viagem. Caso esse tipo de fenômeno fosse possível, o viajante teria uma percepção e marcação de tempo diferentes daquelas dos observadores em repouso.

Existem alguns paradoxos a partir da ideia de viagens temporais. Imagine alguém que voltasse no tempo e matasse o próprio avô. Se isso acontecesse, esse indivíduo nunca nasceria e, portanto, jamais teria feito a viagem no tempo. Se viagens temporais fossem possíveis, alguma lei natural deveria impedir que o curso da história fosse alterado. Para Stephen Hawking, as leis da Física atuam para impedir as viagens no tempo e nos livrar de seus possíveis efeitos catastróficos.

O tempo não é absoluto e pode ser marcado de formas diferentes a partir de um determinado referencial

O tempo não é absoluto e pode ser marcado de formas diferentes a partir de um determinado referencial

Por: Joab Silas da Silva Júnior