Alunos Online


Ação antrópica

Ação antrópica representa qualquer ação realizada pelo homem. Essa expressão ganhou força por causa dos impactos ambientais, sociais e ecológicos provocados pela ação do homem.

Por: Rafaela Sousa Há impactos positivos e negativos da ação antrópica no meio ambiente.

Há impactos positivos e negativos da ação antrópica no meio ambiente.

Ação antrópica diz respeito à ação realizada pelo homem. Esse termo ganhou visibilidade quando a ação do homem tornou-se tema de discussões acerca das intensas alterações que o meio ambiente tem sofrido. Essas modificações preocupam estudiosos e defensores da natureza, posto que o mundo tem dado sinais de que não aguentará por muito tempo. Vivemos tempos em que as catástrofes naturais, intensificadas pela ação antrópica, tornam-se cada vez mais frequentes em todo o planeta, causando danos irreparáveis, como o agravamento do aquecimento global por causa das emissões de gases poluentes à atmosfera.

É válido ressaltar que nem toda ação antrópica é negativa e que a palavra “impacto” não se refere apenas a alterações que provocam problemas no meio ambiente. O termo impacto refere-se às modificações produzidas no meio ambiente, as quais podem ser consideradas positivas ou negativas.

O desmatamento é uma das ações antrópicas negativas.
O desmatamento é uma das ações antrópicas negativas.


Ação antrópica negativa

As alterações feitas pelo homem no meio ambiente intensificaram-se bastante nos últimos tempos. Foi a partir da Revolução Industrial que o cenário mundial alterou-se de maneira significativa. O modo de produção capitalista, voltado para o alcance máximo de lucros e produção em massa, mudou a maneira de viver e pensar da sociedade, estimulando cada vez mais os impactos socioambientais. O consumo desenfreado da população resultou na necessidade de maior obtenção de matéria-prima para as produções industriais. Sendo assim, ações como desmatamento, lançamento de esgotos industriais em rios, lagos e mares, empobrecimento do solo pelo uso de agrotóxicos, poluição atmosférica, entre outras, têm devastado o meio ambiente e provocado o seu esgotamento.

O uso desenfreado e inconsciente dos recursos naturais é frequentemente debatido, haja vista a gravidade dos problemas que já assolam a humanidade e que provavelmente se intensificarão no futuro. Questões como o aumento da temperatura causado pelo desflorestamento, inundações nas áreas urbanas, seca extrema em diversas regiões do mundo, extinção de espécies da fauna e da flora, poluição de mares e rios, agravamento do efeito estufa, entre outras, já são sentidas pela nossa sociedade.

Tendo em vista os impactos ambientais negativos provocados pela ação antrópica, é válido destacar aqueles que são bastantes discutidos e preocupantes:

→ Chuva ácida

A chuva ácida é um tipo de chuva no qual há a presença de ácido sulfúrico, decorrente da reação de gotículas de água existentes na atmosfera com dióxido de enxofre e dióxido de nitrogênio emitidos por meio da combustão de combustíveis fósseis. Toda chuva possui um grau de acidez, possuindo pH em torno de 5,6, o que não prejudica o meio ambiente. Quando esse pH encontra-se abaixo de 4,5, há um problema.

A chuva ácida é um dos principais problemas atmosféricos relacionados à atividade humana. O uso de combustíveis fósseis é uma das principais ações antrópicas que desencadeiam as chuvas ácidas. Usados comumente nas indústrias, nos veículos e em termoelétricas, esses combustíveis passam por um processo de combustão, que libera os gases responsáveis pela formação de chuva ácida. Os principais problemas relacionados a esse tipo de precipitação são o desequilíbrio dos ecossistemas, danos às plantações, contaminação de lençóis freáticos e danos à saúde humana, pois provoca problemas como a asma e a bronquite.

→ Destruição da camada de ozônio

A camada de ozônio desempenha um importante papel na manutenção da vida no nosso planeta: ela é responsável por reter cerca de 95% dos raios ultravioleta emitidos pelo Sol à Terra. Esses raios, quando atingem a superfície terrestre, podem desencadear problemas de saúde no homem, como aumento dos casos de câncer e catarata, afetar o desenvolvimento de outros seres vivos e também provocar o aumento da temperatura da Terra, gerando um desequilíbrio climático.

A destruição da camada de ozônio ocorre em virtude da emissão de alguns gases à atmosfera pelo homem. Os principais gases lançados à atmosfera que provocam danos à camada de ozônio estão presentes em itens como sprays aerossóis, em compressores para refrigeração doméstica (geladeira, por exemplo) e aparelhos de ar-condicionado. O principal gás é o clorofluorcarboneto (CFC), utilizado ao longo de muitas décadas. As moléculas de cloro presente nesse gás são capazes de se fixar às moléculas de ozônio, ocasionando a sua destruição.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Saiba mais: Consequências da destruição da camada de ozônio

→ Agravamento do efeito estufa

O efeito estufa é o fenômeno responsável pela manutenção da temperatura da Terra. É por meio dele que se mantém a temperatura ideal no nosso planeta. Contudo, a emissão excessiva de gás carbônico (principal gás responsável pelo aquecimento anormal da Terra), por exemplo, por meio de algumas atividades humanas, como a produção de energia, tem aumentado a temperatura do planeta de forma anormal. A presença dos chamados “gases-estufa” na atmosfera permite a entrada de radiação, mas impede a liberação do calor, que se aprisiona próximo da superfície.

Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), as alterações humanas no meio ambiente têm provocado mudanças climáticas em todo o mundo . A Terra está mais quente, e esse fato está relacionado a ações antrópicas como a emissão de gases do efeito estufa à atmosfera e o desmatamento excessivo para fins agropecuários.

Os efeitos das mudanças climáticas já são considerados irreversíveis. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Inpe), a temperatura da Terra aumentou cerca de 0,4 ºC. A dinâmica das chuvas e ventos já foi alterada, as calotas polares estão derretendo, e o nível dos oceanos está aumentando. É necessário reduzir a emissão de gás carbônico por intermédio da utilização de fontes de obtenção de energia alternativas e procurar promover hábitos que proporcionem um modo de vida mais sustentável, como reduzir o uso de veículos e evitar a retirada da vegetação nas áreas urbanas.

Leia também: Causas e consequências do efeito estufa

Ação antrópica pode ser positiva quando o meio ambiente e os recursos naturais são preservados.
Ação antrópica pode ser positiva quando o meio ambiente e os recursos naturais são preservados.


Ação antrópica positiva

É fundamental que o modelo de desenvolvimento socioeconômico vigente, que visa a explorar ao máximo os recursos da natureza, seja substituído por um modelo de desenvolvimento que tenha como meta a redução dos impactos negativos sobre o meio ambiente. Uma das possibilidades seria a substituição da matriz energética baseada no uso de combustíveis fósseis por fontes de energia alternativas, como a energia solar e eólica. A população deve também mudar seus hábitos e fazer uso consciente dos recursos naturais, evitando desperdício de recursos como a água, energia e alimentos, bem como usar produtos biodegradáveis.

Exemplos de ações antrópicas positivas:

  • Coleta seletiva

  • Reflorestamento de áreas que foram desmatadas

  • Reciclagem do lixo

  • Uso de fontes renováveis de energia

  • Preservação da biodiversidade

  • Estabelecer leis de conservação do meio ambiente

  • Não poluição de rios, lagos e mares

  • Incentivo de políticas ambientais

  • Recuperação de matas ciliares

  • Uso de filtros nas indústrias para diminuir a emissão de gases tóxicos

  • Uso consciente dos recursos hídricos e de energia

Leia também: Recusos naturais e o desenvolvimento sustentável


???????Desenvolvimento sustentável

A questão ambiental tem sido constantemente debatida, e a conclusão é que os países precisam reforçar políticas que assegurem a preservação do meio ambiente. Estabelecer metas e acordos é fundamental para que a sociedade passe a usar os recursos naturais de maneira sustentável. Debates sobre a problemática ambiental ganharam força a partir da década de 1960, período em que as catástrofes naturais intensificaram-se em todo o mundo, o que provocou o despertar de uma consciência para o desenvolvimento sustentável.

No ano de 1972, aconteceu na Suécia a Primeira Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente. Em 1987, o conceito de desenvolvimento sustentável foi apresentado por meio do relatório Nosso Futuro Comum, elaborado pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente por meio da Organização das Nações Unidas (ONU). Esse relatório tinha como principal objetivo expor as principais mudanças necessárias para que o desenvolvimento econômico e a exploração dos recursos naturais ocorressem de forma que não prejudicassem o suprimento das gerações futuras. O desenvolvimento sustentável sugere que o suprimento das necessidades da sociedade não deve comprometer a geração futura. Portanto, é necessário que os recursos naturais sejam repostos na natureza e que se modifiquem os padrões de consumo da sociedade.