Alunos Online


Agentes externos do relevo

Agentes externos do relevo são aqueles que atuam sobre a superfície no sentido de promoverem transformações sobre as formas e a modelagem terrestre.

Por: Rodolfo F. Alves Pena Os agentes externos dão novas formas ao relevo terrestre

Os agentes externos dão novas formas ao relevo terrestre

Os agentes externos do relevo – ou, mais precisamente, os agentes externos de transformação do relevo – são os elementos que atuam no sentido de promoverem gradativas modificações no subtrato superficial da Terra, moldando formas que existiam anteriormente e dando origem a novos tipos de morfologia.

Sabemos que o relevo é modificado por dois grupos de elementos transformadores: os agentes internos ou endógenos e os agentes externos ou exógenos. Nesse caso, estamos abordando os últimos, que também são chamados de agentes modeladores, pois dão novas formas a estruturas naturais preexistentes.

As forças externas de transformação do relevo são: a água (das chuvas, dos oceanos e dos cursos d'água), o vento, a temperatura (ou a variação das temperaturas), as geleiras e os seres vivos em geral (incluindo os humanos).

Dos elementos naturais, o principal agente de transformação do relevo é a água, pois os seus efeitos são os mais rápidos e também os mais facilmente perceptíveis, podendo ocorrer de várias formas. A água atua, muitas vezes, na ocorrência do intemperismo químico, responsável pela dissolução das rochas, além de contribuir para a transformação dessas e das formas de relevo em sedimentos (partículas de rocha), que são transportados pela própria água para outras localidades. Em outras palavras, podemos dizer que a água é um importante elemento erosivo.

As erosões provocadas pela ação da água podem acontecer de diferentes formas, das quais podemos destacar:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

- erosão fluvial: causada pela ação dos rios em suas margens e áreas adjacentes;

- lixiviação (erosão laminar): “lavagem” ou remoção da camada superior do solo pela água das chuvas;

- erosão marinha: provocada pela ação da água do mar sobre rochas e formas litorâneas de relevo

Os ventos, por sua vez, também são importantes agentes exógenos de transformação do relevo. A ação deles costuma ser mais gradual e menos perceptível que a da água, mas trabalha no sentido de dar novas formas a ambientes de relevo expostos. Com o tempo, estruturas vão ganhando formas diferentes, como se tivessem sido lentamente esculpidas pelo ar em movimento.

A variação de temperatura provoca a sucessão dos processos de dilatação e contração das rochas, sobretudo em regiões onde as amplitudes térmicas são mais acentuadas. Como os graus de dilatação dos minerais são diferentes em uma mesma rocha, os seus ritmos de variação também não se coincidem, o que proporciona a quebra da rocha ao longo do tempo, caracterizando o intemperismo físico.

A ação dos agentes externos do relevo é muito importante. Se considerarmos as áreas geologicamente mais antigas, percebemos que esses agentes tiveram mais tempo para exercer suas modificações, o que explica o fato de essas áreas (como o Brasil) não possuírem grandes altitudes e regiões montanhosas. Afinal, as maiores inclinações já foram lentamente desgastadas ao longo das eras geológicas até alcançarem suas formas atuais.

Artigos Relacionados