Alunos Online


Ciclo das rochas

O ciclo das rochas é o responsável pela renovação e transformação da litosfera terrestre.

Por: Rodolfo F. Alves Pena Esquema simplificado do ciclo das rochas

Esquema simplificado do ciclo das rochas

O Ciclo das Rochas é um fenômeno natural que ocorre na litosfera (a parte sólida) da Terra que é responsável por transformar um tipo de rocha em outro. É considerado um ciclo porque está sempre se renovando, embora nem sempre de maneira repetitiva.

Existem três tipos principais de rochas: ígneas ou magmáticas, metamórficas e sedimentares. Considerando que a Terra forma um sistema dinâmico, é importante considerar, então, que elas estão constantemente se transformando.

Observe o esquema acima. Nele, notamos que as Rochas Ígneas transformam-se em rochas metamórficas e sedimentares; as rochas metamórficas transformam-se em sedimentares e em ígneas; e as sedimentares apenas se transformam em metamórficas. Para melhor explicar essas transformações, dividimo-las didaticamente para melhor explicitá-las.

1. Transformação de rochas Ígneas e metamórficas em sedimentares

As rochas ígneas ou magmáticas são mais suscetíveis a se transformarem em sedimentares do que as metamórficas, em função da estabilidade que essa apresenta. No entanto, seja qual for o tipo de rocha, para se tornar sedimentar, é necessário sofrer as ações dos processos de intemperismo e sedimentação.

O intemperismo é o processo de quebra, fragmentação ou decomposição das rochas, por meio de processos físicos, químicos e biológicos. O resultado, assim, é a sedimentação da rocha, ou seja, a sua divisão em inúmeros sedimentos ou partículas.

Através da força da água, geralmente em forma de enxurradas, esses sedimentos são conduzidos para o fundo de rios e lagos, onde se acomodam e se aglutinam.

Ao entrar em um rio, você já pisou em uma extensa camada de lama? Ela é exatamente o que aqui estamos chamando de sedimentos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Com o tempo, esses sedimentos acumulados solidificam-se, formando novas rochas, que passam a ser chamadas de rochas sedimentares. Esse processo dura milhares e milhares de anos!

2. Transformação de rochas ígneas e sedimentares em metamórficas

Alguns geólogos costumam afirmar que qualquer rocha é uma metamórfica em potencial. Isso porque ela surge da transformação das outras rochas sem a necessidade de passar por processos complexos, como a transformação em magma ou o intemperismo. A transformação ocorre quando outras rochas preexistentes modificam suas características químicas e minerais em função das diferenças de temperatura e pressão dos locais de onde se encontraram para os locais onde elas se encontram.

Esse processo de transformação de outras rochas em metamórficas é chamado de metamorfismo.

3. Transformação de rochas metamórficas em ígneas

Para que qualquer rocha se torne ígnea, ela primeiro precisa passar pelo processo de fusão, ou seja, precisa se transformar em magma, por isso elas também são chamadas de magmáticas. Assim, somente as rochas metamórficas tornam-se rochas magmáticas, porque, quando as rochas sedimentares começam a se aquecer, elas rapidamente mudam sua composição, transformando-se em rochas metamórficas antes de se tornarem ígneas.

Depois de se transformar em lava, ocorre eventualmente o processo de resfriamento e a consequente solidificação, originando, assim, as rochas ígneas. Quando esse processo ocorre no subsolo, chamam-se rochas ígneas intrusivas e, quando ocorre sobre a superfície (após erupções vulcânicas), chamam-se rochas ígneas extrusivas.

Agora que você já conhece a dinâmica do ciclo das rochas, já consegue perceber o quanto a estrutura da Terra é dinâmica!


Videoaula relacionada: