Alunos Online


Deriva Continental

A configuração dos Oceanos e Continentes atuais possui uma grande disparidade em relação a seu período de formação. Mas para atingir o estágio atual os continentes e os oceanos passaram por longos e lentos processos de mudanças de posicionamento no decorrer dos períodos geológicos.

O primeiro cientista a estabelecer um conceito ou uma explicação razoável para demonstrar que os continentes se movimentam, foi o Alemão Alfred Wegener, esse conceito lhe rendeu uma importante obra A origem dos Continentes e Oceanos, publicada em 1915. Para Wegener os continentes se encontravam à deriva sobre uma massa de aspecto pastoso com elevadíssimas temperaturas originadas no interior da Terra, esse conjunto de afirmações e teses deu origem à conhecida Teoria da Deriva Continental.

É lógico que no momento histórico no qual viveu Wegener as indagações seriam evidentes, no entanto, ele tinha como provar que os continentes em épocas remotas estiveram unidos a partir de evidências geológicas como, o contorno entre as costas africanas e sul americanas que se encaixam perfeitamente “como se fosse um quebra-cabeça”, a existência de fósseis animais e vegetais nos dois continentes e por fim a semelhança de formação rochosa e geológica entre os continentes Africano e Sul-Americano.

A teoria das Placas Tectônicas

A teoria das Placas Tectônicas rendeu para Wegener uma grande polêmica por parte da classe científica de sua época, que desprezava sua teoria por não ter explicações acerca de quais seriam as forças que teria a capacidade de mover um continente. Dessa forma a Teoria das Placas Tectônicas foi totalmente ignorada e sucumbiu. Mas no final dos anos 50, passadas três décadas de falecimento do criador da teoria, é que seus estudos e afirmações foram entendidos e aceitos pelos cientistas, e esses estabeleceram algumas alterações nos mesmos.

Nos dias atuais é sabido que não só os continentes se locomovem, mas também os oceanos, essa afirmação foi possível por meio da Teoria das Placas Tectônicas, em que a totalidade da crosta terrestre não é inteira e sim se forma por um conjunto de pequenas placas, além disso, os movimentos não se realizam apenas nos continentes, mas também nos oceanos. Contudo as movimentações das placas realizam de forma lenta sobre o manto terrestre, promovendo a aproximação, distanciamento e colisão entre elas.

A melhor comprovação dos movimentos dos continentes se tornou possível através da utilização de instrumentos modernos como satélites artificiais equipados com raio laser que são capazes de medir a quantidade de centímetros que os continentes se movem anualmente.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
As modificações na configuração dos continentes e oceanos

As modificações na configuração dos continentes e oceanos

Por: Eduardo de Freitas