Alunos Online


Maremoto

Maremoto é um abalo sísmico provocado no solo oceânico por causa movimentação das placas tectônicas, erupções vulcânicas submersas ou por meio de deslizamentos de terra.

Por: Rafaela Sousa Representação de tsunami, um efeito provocado pelo maremoto.

Representação de tsunami, um efeito provocado pelo maremoto.

Maremoto é um abalo sísmico que ocorre no solo oceânico e é capaz de provocar ondas gigantes. O choque/movimentação entre as placas tectônicas, a atividade vulcânica e até mesmo deslizamentos de terra no fundo dos oceanos causam agitação das águas, provocando seu deslocamento vertical. As ondas então são formadas e deslocam-se a fim de retornar a sua posição de equilíbrio. Porém, por causa da intensidade do abalo no assoalho oceânico, essas ondas gigantes podem propagar-se com velocidade e causar danos no litoral à qual se dirige.

Leia também: Como ocorre a movimentação das placas tectônicas


Como são gerados os maremotos

Os maremotos podem formar-se a partir de alguns fenômenos naturais:

1. Movimentação das placas tectônicas: a interação das placas tectônicas em suas fronteiras pode provocar fortes abalos e, consequentemente, deformação da crosta terrestre. A água que está presente nessa região pode então sofrer agitação e deslocar-se verticalmente no sentido do litoral. Dependendo da intensidade do sismo entre as placas, tsunamis podem ser originados.

2. Atividades vulcânicas: as erupções vulcânicas submarinas também podem provocar a agitação das águas e o seu consequente levantamento vertical. Os sedimentos e rochas expelidos pela erupção tendem a se redistribuir no assoalho oceânico e dar origem a ondas gigantes.

3. Deslizamentos: os deslizamentos de terras submersas podem provocar a movimentação das águas oceânicas e a geração de ondas, que tendem a voltar à sua posição de equilíbrio.


Consequência dos maremotos

A agitação provocada nas águas oceânicas pode gerar ondas de alta intensidade e comprimento, Ondas com mais de 30 metros de altura e alto poder destrutivo configuram o que se conhece como tsunami. Apesar de ser um fenômeno raro, a ocorrência de tsunamis gerados por maremotos tem provocado bastante destruição. O número de mortes e danos materiais é expressivo.

Leia também: Terremoto no Japão

Em 2011, um tsunami devastou o Japão.
Em 2011, um tsunami devastou o Japão.


Maremoto e tsunami são o mesmo fenômeno?

Muitas pessoas - até mesmo estudiosos - costumam usar os termos maremoto e tsunami para designar o mesmo fenômeno, o que é um equívoco. Maremoto é um fenômeno ocorrido na fossa oceânica provocado pelo abalo da crosta terrestre. Esse abalo sísmico gera a agitação das águas, o que origina ondas gigantes. Já o tsunami é uma consequência do maremoto. As ondas geradas pelo maremoto podem ter proporções gigantescas e atingir mais de 30 metros de altura, configurando o chamado tsunami. Para ser considerada um tsunami, a onda precisa ter um comprimento de onda de 100 quilômetros e um período de aproximadamente 1 hora. Uma onda normal tem seu comprimento em torno de 100 metros e um período de 10 segundos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Maremoto e terremoto

Terremotos são tremores de terra provocados pela movimentação das placas tectônicas, por erupções vulcânicas ou deslizamentos de terra. Dependendo de sua intensidade, os terremotos podem causar vários danos às regiões afetadas. Já os maremotos são abalos sísmicos que ocorrem no solo oceânico. Também são provocados pela movimentação das placas, atividades vulcânicas e erosões. A diferença é que maremotos ocorrem em áreas cobertas por águas oceânicas.


Curiosidades

A fim de quantificar a intensidade dos tsunamis, estudiosos apresentaram escalas de intensidade tsunâmica. Uma das mais conhecidas é a Escala de Sieberg-Ambraseys, que possui seis graus para representar os danos, indo de muito pequeno (tsunami perceptível apenas em registros maregráficos) a desastroso, que são tsunamis de alto poder destrutivo.

Outra curiosidade refere-se ao poder sensorial dos animais quando uma catástrofe natural é iminente. De acordo com informações do G11, cientistas descobriram o que motiva os animais a abandonar com antecedência as regiões que serão afetadas por desastres naturais: a movimentação das placas tectônicas permite que um gás produzido no interior da Terra chegue à superfície por meio das falhas. Esse gás é constituído de íons positivos, capazes de alterar os hormônios dos animais, deixando-os agitados e provocando seu deslocamento.

1Para ler a matéria completa, clique aqui.