Alunos Online


Origem das rochas

A explicação da origem das rochas depende do tipo de cada uma. Elas podem ser: ígneas, metamórficas e sedimentares.

Por: Rodolfo F. Alves Pena Afinal, como surgem os diferentes tipos de rochas que existem na Terra?

Afinal, como surgem os diferentes tipos de rochas que existem na Terra?

As rochas nada mais são do que conjuntos de minerais e restos de materiais orgânicos agregados de forma não necessariamente coesa, formando uma composição rígida. São as rochas que estruturam a camada mais externa do planeta, a crosta terrestre, haja vista que, nas camadas inferiores (exceto o núcleo interno), as rochas apresentam-se em uma composição líquida que chamamos de magma.

No entanto, muitos se perguntam: qual é a origem das rochas? Afinal, como é o processo formador das estruturas sólidas do nosso planeta?

A explicação da origem das rochas depende do tipo de cada uma. Na verdade, a classificação das rochas está justamente associada às diferentes maneiras como elas se formam, seja pelo seu surgimento direto, seja pela sua transformação ao longo do tempo.

As rochas ígneas – também chamadas de magmáticas – surgem do processo de solidificação do magma. Como a superfície terrestre apresenta temperaturas muito inferiores às do interior do nosso planeta, as rochas mantêm-se no estado sólido, de forma que, quando o magma acende a essa superfície ou penetra nas camadas de rochas preexistentes, ele se solidifica, dando origem às rochas ígneas.

Quando esse processo acontece no interior da crosta terrestre, ele ocorre de maneira mais lenta e gradual, dando origem às rochas que classificamos como intrusivas, a exemplo do granito. Já quando ele ocorre a partir de erupções vulcânicas, essa solidificação é muito rápida, dando origem às rochas que classificamos como extrusivas, a exemplo do basalto.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As rochas metamórficas, por sua vez, surgem do metamorfismo de outras rochas anteriormente existentes por meio da transformação química delas pela alteração das condições de temperatura e pressão em relação ao ambiente de onde elas surgiram. O mármore, por exemplo, origina-se pelo metamorfismo do calcário, uma rocha sedimentar que se transforma quando submetida a uma alta pressão e temperatura.

Já a formação das rochas sedimentares ocorre a partir da decomposição de rochas anteriores, que são lentamente intemperizadas pelo vento, água e clima. Assim, elas se convertem em pequenas partículas que chamamos de sedimentos, a exemplo da poeira e da areia da praia. Com o tempo, esses sedimentos vão se agrupando em camadas no fundo dos oceanos, em lagos ou em relevos de grandes depressões. À medida que esses sedimentos agrupam-se, eles exercem uma pressão maior sobre aqueles situados nas camadas inferiores. Essa pressão faz com que as rochas sedimentares surjam. Um exemplo de rocha sedimentar é o arenito.

Como podemos perceber, o processo de origem depende do tipo de rocha existente. O ciclo das rochas, dessa forma, estrutura-se a partir das diferentes formas pelas quais elas se renovam na natureza, passando entre um tipo e outro. Isso nos leva a concluir que a natureza do relevo e da composição geológica da Terra não é algo estático, mas extremamente dinâmico e de difícil compreensão.