Alunos Online


Rotação de culturas

Rotação de culturas consiste em uma prática agrícola que promove a alternância planejada de diferentes culturas em um mesmo local e em um determinado espaço de tempo.

Por: Rafaela Sousa A rotação de culturas ilustrada na imagem representa a alternância de cultivos em uma mesma área.

A rotação de culturas ilustrada na imagem representa a alternância de cultivos em uma mesma área.

Rotação de culturas é uma prática agrícola que consiste na troca planejada de culturas em uma mesma área em um determinado período. Dessa forma, a plantação de uma espécie vegetal não é repetida em uma mesma área durante o período estabelecido, e essa, ao ser escolhida, deve apresentar propósito comercial e de conservação do solo.

Leia também: Impactos da produção agrícola

Objetivos da rotação de culturas

O principal objetivo dessa técnica de plantio é a conservação e a diminuição da exaustão do solo. Para que isso seja possível, é preciso, além de alternar as culturas, escolher espécies que possuem sistemas radiculares (raízes) diferentes, evitando, assim, a compactação do solo. Essa técnica tem também por objetivo melhorar e manter a fertilidade do solo. Isso ocorre na troca de espécies que apresentam necessidades nutricionais diferentes.

Ao praticar a rotação de culturas, o agricultor também tem como meta diminuir a incidência de pragas, visto que cada espécie favorece um tipo específico. Sendo assim, na alternância, quebra-se o ciclo das doenças.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Qual a importância da rotação de culturas?

A rotação de culturas é uma prática associada à sustentabilidade. Alternar as culturas reduz de maneira eficiente os impactos negativos causados no meio ambiente, como a degradação física, química e biológica do solo e o desmatamento para viabilizar novas áreas necessárias ao plantio. Portanto, é uma prática que possibilita o aumento da produtividade e interrompe o ciclo de doenças provocadas nos vegetais, devendo ser, então, uma técnica de prevenção e não de remediação.

Leia também: Poluição do solo é um grande problema ambiental!

Rotação de culturas, segundo a Embrapa

Para a Embrapa, a rotação de culturas é essencial no cenário atual, em que a agricultura moderna ganha espaço a fim de atender de maneira sustentável a demanda mundial de alimentos, visto que essa técnica permite a produção de diferentes tipos de alimentos. A Embrapa também associa a rotação de culturas ao plantio direto.

Mas o que é plantio direto?

É uma técnica de cultivo realizada sem que haja as etapas comuns de preparo do solo, como a aração (técnica de inversão das camadas do solo) e a gradagem (etapa realizada posteriormente à aração do solo, rompendo os torrões deixados pela aração, tornando o solo plano).

Assim, essa técnica de cultivo contribui para a sustentabilidade da agricultura, e seu sucesso está associado principalmente à utilização da rotação de culturas.

Saiba mais: Técnicas de conservação do solo

Alternância de culturas
A alternância de culturas representa benefícios ao meio ambiente, como a conservação do solo.

Vantagens

A rotação de culturas é uma técnica que apresenta inúmeros benefícios. O produtor agrícola poderá contar com uma produção diversificada dada a alternância de cultivos. Haverá também, mediante essa alternância, a melhoria das características do solo. Outros pontos positivos são a reposição de matéria orgânica e o consequente aumento da produtividade.

Leia mais: Principais tipos de solo no Brasil

Desvantagens

Apesar de apresentar muitos benefícios, a rotação de culturas também apresenta malefícios. É necessário um planejamento estratégico para atender os objetivos do produtor agrícola, sendo esse, muitas vezes, difícil de ser elaborado. Por alternar o cultivo de espécies, normalmente são necessários maiores investimentos em maquinário, considerando que cada plantio tem suas peculiaridades. Outro ponto negativo é a dificuldade encontrada pelo produtor de conseguir crédito para investimento em culturas de menor expressão.

Leia também: Características da agricultura intensiva

Rotação de culturas x monocultura

A rotação de culturas e a monocultura são práticas agrícolas com objetivos distintos. A rotação de culturas, como já dito, permite a mudança de cultivo em uma mesma terra, otimizando a cada novo ciclo os nutrientes e a conservação do solo. Já a monocultura consiste em plantar uma única cultura e está associada a diversos problemas ambientais, provocando esgotamento do solo, desmatamento e redução da biodiversidade.

Monocultura
A monocultura é o plantio de uma única cultura, geralmente realizada em grandes extensões de terra, provocando empobrecimento do solo.

Pousio e rotação de culturas

Pousio, assim como a rotação de culturas, é uma técnica associada à preservação do meio ambiente e, especificamente, à conservação do solo. O pousio não utiliza maquinários, fertilizantes e inseticidas. Com o objetivo de impedir o desgaste e a exaustão dos nutrientes do solo usado para plantio, o pousio refere-se ao plantio de uma determinada cultura seguido de um período de descanso do solo para que este consiga se recuperar de forma adequada. Portanto, é um período de repouso do solo, a fim de torná-lo mais fértil logo após a plantação de uma determinada espécie.