Alunos Online


Um astrólogo contra Hitler

Por: Rainer Sousa Ludwig von Wohl (esq.): um astrólogo nos palcos da Segunda Guerra Mundial.

Ludwig von Wohl (esq.): um astrólogo nos palcos da Segunda Guerra Mundial.

Ao assistir filmes como “300”, vislumbramos o importante papel ocupado pelos videntes na deflagração de uma determinada guerra. Muitos olham com desdém as formas pelas quais diversas civilizações guiaram os destinos de seu povo por meio de algum tipo de crença ou religião. Para os mais céticos, a indústria bélica e as avançadas táticas de guerra superaram essa fase mítica dos conflitos.

No entanto, recentes documentos liberados do Arquivo Nacional do Reino Unido, indicavam que a inteligência britânica tentou adivinhar os planos de Adolf Hitler consultando seu horóscopo. Para isso, contaram com os serviços de um judeu-alemão radicado em Londres chamado Ludwig von Wohl. Provavelmente, Ludwig convenceu a alta cúpula do Exército Inglês que poderia revelar os planos dos alemães.

O vidente judeu passou a trabalhar para o SOE, uma espécie de agência de espionagem britânica, chegando a ter direito a andar com os trajes oficiais ingleses. A ascensão de um astrólogo na Segunda Guerra pode ser explicada por dois fatores possíveis: a ação devastadora de Hitler e seu blitzkrieg ou o fato do próprio Hitler também contar com um astrólogo pessoal.

De acordo com algumas anotações do espião-astrólogo britânico, o sucesso de algumas vitórias políticas e militares de Hitler aconteceu em dias regidos por tendências astrológicas positivas. No entanto, o trabalho prognóstico de Ludwig não teve muito respaldo. De todas suas previsões, a única certa (e ridiculamente óbvia) falava do apoio italiano às forças nazistas durante a guerra.

Uma das erratas do astrólogo foi dizer que os países do Eixo planejavam realizar o ataque e a conquista da América do Sul. No entanto, o ataque japonês à ilha de Pearl Harbor frustrou a previsão de Ludwig. Em uma outra de suas “furadas”, o aliado sensitivo dizia que Hitler era um homem amaldiçoado e que não viveria mais que um ano. Detalhe: a previsão foi feita em junho de 1941!

Mesmo notando que as previsões foram completamente fracassadas, é no mínimo curioso pensar que esse tipo de recurso seria utilizado na Segunda Guerra Mundial. Certa vez, o primeiro-ministro britânico Churchill disse que apoiaria o Diabo, se Hitler invadisse o inferno. Seria essa mais um dos conselhos de Ludwig von Wohl? Provavelmente não.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)