Alunos Online


Diário

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte O diário se caracteriza como um gênero textual

O diário se caracteriza como um gênero textual

Incansavelmente, afirmamos ser os gêneros textuais aquelas diferentes situações que partilharmos no dia a dia, cada qual delas resultante de uma finalidade discursiva diferente – fato que os faz (os gêneros) receberem classificações distintas. Assim, de forma específica, trataremos de um desses gêneros nesse nosso precioso encontro – demarcado pelo diário. Falar sobre ele, por sua vez, já nos faz sentir familiarizados, caracterizando-se como aquela situação comunicativa em que o emissor se coloca diante de si mesmo para relatar, registrar os fatos ocorridos no cotidiano de forma geral.

Esse gênero, diferentemente dos outros, os quais se remetem a um interlocutor, o emissor é quem faz esse papel, haja vista que escreve para ele próprio, sendo que a enunciação se caracteriza, assim, como uma espécie de confissão. Dessa forma, pautando nesse aspecto, equivale dizer que a linguagem nele utilizada costuma não seguir uma rigidez, visto que sem nenhum problema ela pode se manifestar sob um tom bastante coloquial. Sem nos esquecermos de que o uso da primeira pessoa, obviamente, revela-se como fator predominante, além do uso do vocativo que também se faz recorrente, como é o caso de “querido diário”, sendo essa expressão demarcada logo após a data.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Outro fator, também passível de ser mencionado, é que o diário pode se tornar um importante e valoroso documento histórico, haja vista que pode retratar uma determinada época ou mesmo registrar fatos do dia a dia de uma pessoa que faz ou fez parte da sociedade, como é caso do livro Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina de Jesus, uma catadora de papel que viveu na favela de Canindé, São Paulo. Familiarizando-nos com ele podemos atestar a árdua luta pela sobrevivência, retratada pelas pessoas que “clamam” por melhores condições de sobrevivência.

Em última das instâncias, como estamos diante de um gênero textual, como antes firmado, não se torna nenhum pouco descabido afirmarmos que ele pode ser uma das propostas na prova de redação de muitos vestibulares, concursos, enfim, processos seletivos de toda ordem, por isso é sempre bom estarmos atentos às características que o demarcam, sem dúvida.