Alunos Online


Diferenças que há entre classe e função

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte Diferenças linguísticas demarcam classe e função

Diferenças linguísticas demarcam classe e função

Conhecimentos de que dispomos acerca dos fatos gramaticais atestam a existência de alguns aspectos voltados para a morfologia, como também imprimem alguns deles, ora direcionados para o campo da sintaxe.

São duas partes que, diga-se de passagem, fazem parte das divisões inerentes à gramática, cada qual incumbida de se ater, ora a uma particularidade, ora a outra. Dessa forma, tais particularidades são fundamentais para o nosso perfeito entendimento em reconhecer e, sobretudo, conscientizar-se de que entre ambas há mesmo traços que as faz distinguirem entre si. Pautados então por essa premissa, constatemo-las:

Classe diz respeito àquelas dez, de que já temos conhecimento: substantivo, adjetivo, advérbio, conjunção, pronome, artigo, numeral, advérbio, interjeição e preposição. Já a chamada função, como bem nos retrata o nome, faz referência àquelas relações que se estabelecem entre os elementos de que se constitui um contexto oracional.

Dessa forma, temos: sujeito, predicado, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, agente da passiva, aposto, vocativo, adjunto adnominal, adjunto adverbial, predicativo do sujeito e predicativo do objeto.

Partindo desses pressupostos, tornaremos práticas as teorias ora ressaltadas, cujo intento é fazer com que você, caro(a) usuário(a), entenda da melhor forma possível.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tomando como exemplo a palavra livro - Esse vocábulo, uma vez concebido de forma isolada, encaixaria perfeitamente naquela classe que lhe é condizente, ou seja, na classe dos substantivos. Já inserido em um dado contexto oracional, poderá assumir distintas funções, pois somente esse contexto, essa situação que nos indicará pistas para atribuir a ele a classificação adequada. Constatemos, portanto, algumas evidências, valendo-nos de alguns enunciados linguísticos:

O livro está sobre a mesa. Classifica-se como núcleo do sujeito, haja vista que o sujeito se demarca pelo “o livro”.

Nós lemos o livro. Pelo fato de complementar o sentido do verbo ler, classifica-se como objeto direto.

Necessitamos do livro para fazermos as pesquisas. Aqui da mesma forma, haja vista completar o sentido de um verbo transitivo indireto, representa o objeto indireto.

Aquele instrumento que lhe proporciona conhecimento, o livro, deve estar sempre disponível na biblioteca. Aposto, pelo fato de retomar a um termo anterior, fornecendo-lhe informações adicionais.

As informações de que você precisa se encontram no livro. Adjunto adverbial, por que não?