Alunos Online


Objeto direto e o uso da vírgula

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte Em se tratando do objeto direto não há o uso da vírgula

Em se tratando do objeto direto não há o uso da vírgula

Por certo, o uso da vírgula integra uma das muitas dúvidas relacionadas aos pressupostos preconizados pela gramática, dadas as muitas regras e suas possíveis exceções. Em face dessa realidade, veja:

Assim que você chegar ao trabalho, avise-me.
Conforme o professor solicitou, fizemos a pesquisa.

Trata-se de dois enunciados linguísticos constituídos por duas orações subordinadas adverbiais: uma temporal e uma conformativa.

Dessa forma, constatamos que o uso da vírgula se encontra devidamente atribuído, em virtude da inversão de termos, ou seja, a oração principal aparece depois da segunda (subordinada).

Nosso objetivo aqui é ressaltar acerca do uso da vírgula em se tratando de casos relacionados ao objeto direto. Vejamo-los:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Aos participantes, foram entregues alguns prêmios.

Constatamos que se trata de dois complementos: um objeto direto (alguns prêmios) e um objeto indireto (aos participantes).

Cabe ressaltar que mesmo em se tratando do deslocamento de termos, o uso da vírgula nesse caso não se encontra adequado. Portanto, cabe uma retificação a tal enunciado:

Aos participantes foram entregues alguns prêmios.

Contudo, existem exceções. A vírgula pode estar presente em casos referentes a objetos pleonásticos, como em:

A mim, não me cabe interferir.

Aproveite para conferir a nossa videoaula relacionada ao assunto: