Alunos Online


Galvanoplastia

Por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça Observe que a corrosão do restante do carro está ocorrendo de forma bem mais rápida do que no para-choque que passou por um processo de galvanoplastia

Observe que a corrosão do restante do carro está ocorrendo de forma bem mais rápida do que no para-choque que passou por um processo de galvanoplastia

Conceito de galvanoplastia ou eletrodeposição

Essa técnica é utilizada com duas finalidades principais, a primeira é proteger o metal do qual a peça é feita, pois ele é revestido por um metal mais nobre, isto é, que é menos reativo e resiste mais à corrosão (oxidação). A segunda finalidade é tornar o objeto mais bonito, principalmente quando ele é revestido com ouro ou prata.

As principais galvanoplastias que podem ser feitas são a niquelação (revestimento com níquel), a cromeação (com cromo), a prateação (com prata) e a douração (com ouro).

A galvanoplastia é feita principalmente nos seguintes casos:

  • Na douração e na prateação de joias;
  • Muitas vezes, as medalhas usadas para premiar atletas em competições são feitas de um material mais barato e depois são revestidas com ouro, por exemplo;
  • Para-choques e grades dianteiras de alguns carros são cromados;
  • Niquelação de torneiras;
  • Rodas de automóveis são recobertas de zinco metálico.

Exemplos de galvanoplastia

Para se realizar a galvanoplastia de qualquer objeto, basta colocá-lo no lugar do cátodo num circuito de eletrólise, sendo que o ânodo deve ser feito de uma placa do metal que se deseja revestir a peça ou então ser inerte, e a solução aquosa eletrolítica deve ser feita de um sal desse metal.

Por exemplo, digamos que queremos realizar a douração de um anel feito de alumínio. Precisaremos de um sistema parecido com o apresentado abaixo, em que o ânodo é uma placa de ouro, o cátodo é o anel que queremos revestir e a solução eletrolítica na qual os eletrodos estão mergulhados é de nitrato de ouro III [Au(NO3)3].

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Galvanoplastia ou eletrodeposição de ouro sobre um anel de alumínio

Veja que o ânodo fica ligado ao polo negativo da bateria e o cátodo ao polo positivo. Com a passagem de corrente elétrica no circuito, no ânodo haverá oxidação do próprio ouro metálico (Au), conforme a semirreação abaixo:

Semirreação do Ânodo: Au → Au3++ 3e-

No cátodo haverá a redução do cátion Au3+ e deposição de ouro sobre o anel:

Semirreação do Cátodo: Au3++ 3e- → Au

Na reação global, temos:

Semirreação do Ânodo: Au → Au3++ 3e-
Semirreação do Cátodo: Au3++ 3e- → Au
Reação Global: Zero

Isso quer dizer que não houve transformação química, mas apenas um transporte de ouro do ânodo para o cátodo.

Poderíamos também colocar no lugar da placa de ouro um eletrodo inerte, como uma placa de platina. Dessa forma, a deposição de ouro sobre o anel seria proveniente não do ânodo, mas sim dos cátions Au3+ vindos da solução:

Galvanoplastia com eletrodo inerte de platina

Semirreação do Ânodo: H2O →2 H++ ½ O2 + 2 e-
Semirreação do Cátodo: Au3++ 3e- → Au