Alunos Online


Nomenclatura usual dos álcoois

Os compostos orgânicos muitas vezes recebem uma nomenclatura de uso comum, mas que não corresponde às regras oficiais estabelecidas pela IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada). Os sistemas não oficiais ainda são muito comuns no cotidiano, portanto é bom entender como funcionam.

No caso dos álcoois existem dois tipos de nomenclaturas usuais, os quais veremos a seguir:

1.      A primeira nomenclatura usual dos álcoois que iremos citar e que é a mais comum segue a seguinte regra:

Nomenclatura usual (não oficial) dos álcoois

Observe que, nesse caso, a cadeia carbônica é considerada como um substituinte ligado ao grupo característico dos álcoois, o OH. Veja alguns exemplos e a sua comparação com a nomenclatura oficial desses compostos:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplos de nomenclatura usual (não oficial) dos álcoois. Título: Exemplos de nomenclatura usual dos álcoois.

2.      Nomenclatura usual de Kolbe:

Esse cientista chamava o metanol (H3C ? OH) de carbinol e os seus ligantes são considerados radicais. Assim, temos:

Nomenclatura usual de Kolbe

Essas nomenclaturas usuais servem apenas para monoálcoois e não são utilizadas quando se tratam de compostos de álcoois mais complexos, como álcoois insaturados, com ramificações e poliálcoois.





Aproveite para conferir nossas videoaulas sobre o assunto:

O etanol, muito usado no cotidiano, como, por exemplo, em lamparinas (figura), é comumente comercializado como álcool etílico, que é seu nome usual

O etanol, muito usado no cotidiano, como, por exemplo, em lamparinas (figura), é comumente comercializado como álcool etílico, que é seu nome usual

Por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça

Artigos Relacionados