Alunos Online


Nomenclatura usual de haletos orgânicos

A nomenclatura usual de haletos orgânicos é feita a partir do nome do ânion e do radical orgânico presente na cadeia.

Por: Diogo Lopes Dias Tetracloreto de carbono é o nome usual do clorofórmio (solvente de verniz)

Tetracloreto de carbono é o nome usual do clorofórmio (solvente de verniz)

Haletos orgânicos são compostos que apresentam na sua constituição um ou mais átomos de halogênio (Flúor, Cloro, Bromo e Iodo) ligados diretamente a um hidrocarboneto qualquer, como na fórmula estrutural abaixo:

Fórmula estrutural de um haleto orgânico qualquer
Fórmula estrutural de um haleto orgânico qualquer

A nomenclatura de um haleto orgânico pode ser realizada por meio de duas regras distintas:

  • regra de nomenclatura IUPAC (oficial)

  • regra de nomenclatura usual

Neste texto vamos dar ênfase na regra de nomenclatura usual de haletos orgânicos, que pode ser enunciada da seguinte forma:

Cloreto, Brometo, Iodeto ou Fluoreto + de + nome do radical + ila

A regra de nomenclatura usual de haletos orgânicos é utilizada para aqueles que apresentam apenas um halogênio em sua composição, como no exemplo abaixo:

Fórmula estrutural do iodeto de etila
Fórmula estrutural do iodeto de etila

A presença de apenas um halogênio na cadeia carbônica facilita a identificação da ramificação que está ligada a ele, como no modelo abaixo:

Iodo destacado no haleto orgânico
Iodo destacado no haleto orgânico

Ao circular o iodo presente no haleto orgânico, podemos observar o radical etil (CH3-CH2) ligado a ele.

Veja agora exemplos de aplicação da nomenclatura usual de alguns haletos orgânicos:

Exemplo 1: Cloreto de metila

Fórmula estrutural do Cloreto de metila
Fórmula estrutural do Cloreto de metila

Quando destacamos o cloro, podemos observar que a ramificação metil (CH3) está ligada diretamente a ele.

Cloro destacado e o radical
Cloro destacado e o radical

De acordo com a regra de nomenclatura usual, nesse haleto, devemos utilizar o termo cloreto (por apresentar cloro) e metila (por apresentar o radical metil). Assim, o nome da estrutura acima é:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Cloreto de metila

Exemplo 2: Iodeto de sec-butila

Fórmula estrutural do Iodeto de sec-butila
Fórmula estrutural do Iodeto de sec-butila

Quando o iodo é destacado, podemos observar que a ramificação Sec-butil (CH3-CH-CH2-CH3) está ligada diretamente a ele.

Iodo destacado e radical
Iodo destacado e radical

De acordo com a regra de nomenclatura usual, nesse haleto, vamos utilizar o termo iodeto (por apresentar iodo) e sec-butila (por apresentar o radical sec-butil). Assim, o nome da estrutura acima é:

Iodeto de sec-butila

Exemplo 3: Brometo de fenila

Fórmula estrutural do Brometo de fenila
Fórmula estrutural do Brometo de fenila

Quando o iodo é destacado, podemos observar que a ramificação fenil (benzeno) está ligada diretamente a ele.

Bromo destacado e radical
Bromo destacado e radical

De acordo com a regra de nomenclatura usual, nesse haleto, vamos utilizar o termo brometo (por apresentar bromo) e fenila (por apresentar o radical fenil). Assim, o nome da estrutura acima é:

Brometo de fenila

Exemplo 4: Fluoreto de vinila

Fórmula estrutural do Fluoreto de vinila
Fórmula estrutural do Fluoreto de vinila

Quando o flúor é destacado, podemos observar que a ramificação vinil (CH2=CH-) está ligada diretamente a ele.

Flúor destacado e radical
Flúor destacado e radical

De acordo com a regra de nomenclatura usual, nesse haleto, vamos utilizar o termo fluoreto (por apresentar flúor) e vinila (por apresentar o radical vinil). Assim, o nome da estrutura acima é:

Fluoreto de vinila