Alunos Online


Sais Orgânicos Derivados de Ácidos Carboxílicos

Por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça Antigamente, produtos que devolviam gradualmente a cor dos cabelos eram feitos de sais orgânicos de chumbo, que causam uma doença chamada saturnismo

Antigamente, produtos que devolviam gradualmente a cor dos cabelos eram feitos de sais orgânicos de chumbo, que causam uma doença chamada saturnismo

Os sais orgânicos derivados de ácidos carboxílicos são obtidos através de reações de neutralização, também denominadas salificação. Nesse tipo de reação, um ácido, que no caso é o ácido carboxílico, reage com uma base, originando sal e água. Observe o exemplo genérico abaixo:

 

Reação genérica de obtenção de sais derivados de ácidos carboxílicos.

Observe que um ânion, proveniente do ácido carboxílico, une-se a um cátion metálico ou amônio (NH4+), fornecido pela base. Assim, o grupo funcional que distingue os sais derivados de ácidos carboxílicos é exatamente o ânion carboxilato:

Grupo funcional dos sais orgânicos derivados de ácidos carboxílicos.

 

O ácido carboxílico pode se regenerar em meio aquoso, visto que esses sais são iônicos e, na presença de água, sofrem hidrólise.

Nomenclatura:

 

A nomenclatura dos sais derivados de ácidos carboxílicos é feita a partir do nome do ânion, mudando a terminação ico do ácido carboxílico correspondente por ato. Posteriormente, usa-se o seguinte esquema:

Regra de nomenclatura de sais orgânicos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

 

Veja o exemplo abaixo de como isso se aplica:

Dando nome a um sal orgânico.

Usos e aplicações:

 

Esses sais estão presentes principalmente na fabricação de sabões, como o esteroato de sódio e o oleato de potássio.

Estão presentes também em medicamentos, aditivos alimentares, soluções fotográficas, fixadores de corantes de tecidos, tingimentos de couros, entre outros.

 

Antigamente alguns tipos de produtos utilizados para devolver a cor gradual dos cabelos eram soluções incolores de acetato de chumbo (Pb(H3CCOO)2), que é um sal orgânico. Ao entrar em contato com o cabelo, ele desprende o íon chumbo Pb2+, que reage com o enxofre das proteínas dos fios de cabelo, produzindo uma substância de cor preta, que é o sulfeto de chumbo II (PbS).

Porém, hoje só é permitido até 20 ppm de chumbo (m/m) na composição dessas tinturas capilares, pois o acúmulo de chumbo no organismo origina graves problemas à saúde, como o saturnismo, alterações neurológicas e do sistema reprodutor.

Artigos Relacionados