Alunos Online


Ununséptio

O Ununséptio é um elemento químico descoberto em 2010, de número atômico 117, que se tornou o mais novo membro da família dos halogênios na Tabela Periódica.

O Ununséptio é um elemento químico descoberto no ano de 2010 pelo Instituto Conjunto de Pesquisa Nuclear (JINR), que é formado por cientistas da Rússia e dos Estados Unidos. A existência desse elemento foi realmente confirmada por setenta e dois cientistas e engenheiros de dezesseis instituições em todo o mundo.

Ele é até então o mais novo elemento químico obtido que compõe a Tabela Periódica atual. Seu número atômico é 117, o que significa que ele possui 117 prótons no seu núcleo e também 117 elétrons na eletrosfera no estado fundamental. Inclusive, seguindo a regra de nomenclatura estabelecida pela IUPAC para novos elementos descobertos, o nome dado a ele de modo provisório - Ununséptio - deriva do seu número atômico, pois vem do latim “um, um, sete”. Seu símbolo, também provisório, é Uus.

Esse elemento é o último componente da família 17 ou VII A da Tabela Periódica e possui sete elétrons na sua camada mais externa, que também é a sétima, o que mostra que ele pertence ao período 7 da Tabela:


Localização do Ununséptio na Tabela Periódica

O Ununséptio é um elemento transurânico, ou seja, faz parte do grupo de elementos que possui número atômico maior que o do urânio (Z = 92). As primeiras tentativas de obtenção desses elementos além do urânio começaram em 1934 através de bombardeamentos de núcleos de urânio por nêutrons, que foram realizados por Fermi, Segrè e colaboradores. Mas somente em 1940 que o primeiro elemento transurânico foi obtido por E. M. McMillan e P. H. Abelson, tratava-se do netúnio de número atômico 93. Nesse mesmo ano, G. Seaborg, E. M. McMillan, J. W. Kennedy e A. C. Wahl descobriram o plutônio, de número atômico 94.

As descobertas de novos elementos continuaram, com consequentes alterações na Tabela Periódica. Os últimos elementos descobertos foram:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Últimos elementos descobertos pelos cientistas

Até o momento ainda não houve nenhuma comprovação da descoberta do elemento químico de número atômico 116, que seria chamado de Ununhéxio (Uuh). Além disso, o Ununóctio (Uuo), elemento de número atômico 118, foi sintetizado antes do Ununséptio.

Conforme mencionado, o nome “Ununséptio” é apenas provisório. Se a IUPAC (sigla em inglês para União de Química Pura e Aplicada) e a IUPAP (sigla em inglês para União de Física Pura e Aplicada) decidirem que ele deve ficar permanentemente na Tabela Periódica, seu nome poderá mudar. Foi o que ocorreu, por exemplo, com os elementos de números atômicos 110, 111 e 112, que antes eram chamados, respectivamente, de ununílio (Uun), ununúnio (Uuu) e unúnbio (Uub).

No caso do Ununséptio, a sua obtenção ocorreu graças a um bombardeamento de núcleos de berquélio-249 com íons cálcio-48 em um ciclotron. Com isso, eles conseguiram obter seis átomos de Ununséptio, sendo que cinco deles possuem massa atômica igual a 293 e apenas um deles possui massa atômica de 294.

4820Ca + 24997Bk →294117Uus + 3 n

4820Ca + 24997Bk →294117Uus + 4 n


Principais características do Ununséptio

Para a obtenção de 13 miligramas de berquélio, passaram-se 18 meses! Além da sua difícil obtenção, o berquélio também é um elemento pesado — seu número atômico é 117 —, radioativo e desintegra-se rapidamente. Seu período de meia-vida é de apenas 330 dias.

O Ununséptio também é um elemento bastante instável e decai em milissegundos, mas o importante é que o seu decaimento radioativo produz isótopos que se mantêm estáveis por horas.

Símbolo do Ununséptio na Tabela Periódica

Símbolo do Ununséptio na Tabela Periódica

Por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça