Alunos Online


Exemplos de Cotas

Por: Marla Rodrigues A busca pela igualdade racial

A busca pela igualdade racial

O Brasil tem a 2ª maior nação negra do mundo, atrás apenas da Nigéria. Os negros correspondem a 45% da população de nosso país e a porcentagem de negros nas universidades públicas não chega a 5%.

Com base nesses dados, a Universidade de Brasília (UnB) foi a primeira universidade federal a adotar o sistema de cotas, em junho de 2004, e desde então vem causando polêmica. A instituição reserva 20% de suas vagas para candidatos negros.

Até o vestibular de 2007, a UnB analisava se os candidatos às cotas eram negros ou não por meio de fotos e caso seu requerimento fosse negado, o estudante poderia concorrer a uma das vagas destinadas ao sistema universal. A partir do vestibular 2008, a UnB passou a adotar a entrevista no lugar das fotos para analisar a situação racial dos candidatos e aqueles que não tivessem o direito de concorrer pelo sistema de cotas também não poderiam concorrer pelo sistema universal e estariam eliminados do vestibular.

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro adota medidas diferentes das da UnB. Para concorrer às cotas da instituição, o candidato deve comprovar ter renda per capita bruta máxima no valor de R$630 e se enquadrar em um destes perfis:

- alunos que cursaram todo o ensino fundamental em escola pública e, ainda, todo o ensino médio em escola pública do estado do Rio de Janeiro;
- negros autodeclarados;
- índios nascidos no Brasil ou
- filhos de policiais civis e militares, bombeiros militares e inspetores de segurança e administração penitenciária mortos ou incapacitados em razão do serviço.

O candidato que não conseguir comprovar a sua situação não poderá se matricular na UERJ, mesmo se aprovado. Ao contrário da UnB, as cotas da UERJ estão previstas em lei estadual do Rio de Janeiro.

A Universidade Federal Fluminense (UFF) reserva 20% das suas vagas para estudantes oriundos da rede pública, outros 20% para afrodescendentes e 5% para deficientes físicos, índios ou filhos de agentes policiais e bombeiros que tiveram os pais mortos ou invalidados em razão do serviço.

Contrariando a reserva de vagas, a Universidade de São Paulo (USP) permite que alunos da rede pública estadual de São Paulo participem do Programa de Avaliação Seriada (que avalia os estudantes em cada ano do ensino médio, somando a pontuação ao final do 3º ano) e recebam um bônus de até 3% em suas notas, de acordo com seu desempenho. A nota do Enem também pode ser um diferencial de até 6% no valor da nota do PAS. Somando com a outra bonificação de 3% oferecida pelo Inclusp (Programa de Inclusão da USP), os alunos oriundos de escola pública estadual de São Paulo podem aumentar sua nota em até 12%.

Quase todas as universidades federais do Brasil já adotaram algum tipo de política afirmativa, seja ela cota ou bonificação. Pesquise as chances que a universidade que você almeja dá para o seu perfil e utilize desta ferramenta para conquistar uma vaga no ensino superior.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)